O comerciante Dubla Solinaldo Cosme de Melo, 42 anos, e sua mulher Vera Lúcia Pereira de Lima, 35 anos, residentes em Natal (RN), foram presos em flagrante na tarde de ontem, em Campina Grande, acusados de serem membros de uma quadrilha que teria praticado golpes de empréstimos consignados, com valor total que supera R$ 800 mil, nos Estados da Paraíba e Rio Grande do Norte. De acordo com a Delegacia de Vigilância Geral do Município, que efetuou as prisões, existem denúncias contra o casal oriundas de bancos lotados em João Pessoa, Campina Grande, Patos, Cajazeiras e Natal/RN. Dubla Solinaldo e Vera Lúcia foram autuados por estelionato, falsidade ideológica, falsificação de documentos públicos e formação de quadrilha.

Segundo o delegado de Vigilância Geral, Wagner Dorta, a prisão foi efetuada em um banco. “Nós descobrimos que o casal estaria na agência de um banco situado na rua Floriano Peixoto, Centro de Campina Grande, realizando negociações. Fomos para o local e efetuamos as prisões. Com eles encontramos vários documentos que acreditamos serem falsos, muitas fotografias que, conforme nossas investigações, eram submetidas a substâncias químicas e coladas em papéis falsos de documentos de identidade, além de um automóvel Astra, com placa de Natal/RN”, relatou. Conforme a polícia, além de identidades, eles falsificariam Códigos de Pessoa Física (CPF).

De acordo com Wagner Dorta existem mais três foragidos. “Nós descobrimos na tarde de ontem, mais três envolvidos na quadrilha, sendo um do RN e dois da Paraíba, que estão foragidos, cujos nomes preferimos ainda não divulgar”, frisou. Os supostos golpistas atuariam há cerca de três anos nos dois Estados. “A Polícia Civil de Campina Grande vem investigando essa quadrilha há quatro meses, mas, conforme relatos das vítimas que sofreram com os golpes, já existem dados que eles atuam há três anos tanto na Paraíba quanto no Rio Grande do Norte”, frisou.

De acordo com um representante bancário de Campina Grande, que teria sido vítima da quadrilha e preferiu não se identificar, a atuação dela é organizada. “Pelos nossos levantamentos, esse grupo já chegou a nos levar mais de R$ 40 mil. Eles, através de documentos falsos, deram entrada em empréstimos consignados e retiraram o dinheiro”, destacou.

O casal negou as acusações. “Nós trabalhamos para um escritório de empréstimos, com a função de levar documentos do escritório para os bancos. Não somos nós que sacamos os empréstimos”, destacou Dubla Solinaldo. Conforme a polícia, ele foi encaminhado para a Casa de Detenção do Monte Santo e Vera Lúcia para o Presídio Feminino do Serrotão, ambos em Campina Grande, onde ficarão à disposição da Justiça.
 

 

Jornal da Paraíba

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Em JP: motociclista perde o controle de moto a atropela quatro pessoas

Mais um acidente devido supostamente a imprudência deixou quatro pessoas feridas, quando um motociclista que estaria empinando uma moto, ocasionou o acidente, na noite de ontem (19), na Avenida João…

Polícia captura suspeito de invadir casa e estuprar criança de 10 anos

A polícia conseguiu capturar neste domingo (18) o homem suspeito de invadir uma casa e estuprar uma menina de 10, em Itaporanga, no Sertão da Paraíba. O abuso teria ocorrido…