Em depoimentos a imprensa, durante a solenidade de entrega das Casas do Complexo Aluízio Campos, em Campina Grande, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) disse que não iria polemizar com o ex-presidente Lula, libertado da prisão na última sexta-feira (8), após decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que declarou inconstitucional a prisão de condenados em segunda instância. “Não vou polemizar com condenado”, comentou.

Em seu primeiro discurso após ser solto, Lula afirmou que Bolsonaro governa para milicianos, mas o presidente disse que não responderá às acusações. Ele também não quis falar sobre a PEC que vai analisar a prisão em segunda instância no Congresso Nacional. “Eu não voto e o parlamento tem completa independência”.

Questionado sobre a prioridade do seu governo ele disse: “é concluir as obras, e não começar nada novo”. Ao lado do ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto; do prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues; do líder da bancada federal, Efraim Filho; e de várias outras autoridades, o presidente evitou comentar a ausência do presidente do PSL na Paraíba, o deputado federal Julian Lemos, que costumava ser um de seus maiores aliados.

 

Redação

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Casal suspeito de assaltar pousada em Campina Grande é preso

A Polícia Militar prendeu um casal, em flagrante, na madrugada desta sexta-feira (28), durante a Operação Madrugadão, no centro de Campina Grande. Os suspeitos, que estavam armados com uma faca,…

Material genético de sentenciados auxilia nas investigações policiais, na PB

A Polícia Civil da Paraíba coleta amostras de DNA de presos sentenciados pela Justiça por prática de crimes hediondos. Até o mês de fevereiro deste ano, 432 condenados tiverem seus…