Depois de uma longa espera, o motorista suspeito de atropelar cinco pessoas da mesma família em uma calçada, na cidade de Areia, no Brejo paraibano, se apresentou à Polícia Civil na manhã desta quinta-feira (3). Além de Alíson Teixeira de Sobral, que dirigia o veículo, o acompanhante, Antônio José da Silva, também se apresentou com advogado na Central de Polícia Civil de Campina Grande. Os dois já estavam sendo considerados foragidos após descumprirem um acordo feito com a Polícia Civil e não comparecerem à delegacia para prestar depoimento do caso.

O delegado Gilson Teles que está a frente das investigações, conversou agora a pouco com a imprensa, mas não deu detalhes do interrogatório.

Segundo o advogado Júnior Meira, que representa a defesa dos acusados, os clientes alegam que não havia ingerido bebida alcoólica e que no momento do acidente o carro apresentou uma falha mecânica, impedindo o veículo de parar.

O atropelamento aconteceu no dia 22 de setembro. Uma menina de 6 anos, atingida pelo veículo, teve morte cerebral no Hospital de Emergência e Trauma de Campina Grande. Cinco pessoas foram vítimas do acidente. Todas elas foram encaminhadas para o Trauma. Uma mulher e um menino não resistiram aos ferimentos e morreram na unidade de saúde. Um homem também passou por uma cirurgia e uma outra criança recebeu alta.

Antônio José é o dono do carro que atropelou as vítimas, mas estava no banco do passageiro no momento do acidente. A suspeita da polícia é de que os homens estavam embriagados.

Redação

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Polícia prende suspeito de liderar organização criminosa em Cabedelo

Um homem suspeito de liderar organização criminosa responsável por homicídios ocorridos na cidade de Cabedelo (PB) foi preso no início de tarde desta sexta-feira (5) pela Polícia Civil. Ele foi…

PM detém suspeitos de tráfico e cumpre mandados em sete cidades

A Polícia Militar deteve cinco suspeitos de tráfico de drogas e dois por cumprimento de mandados, na noite dessa sexta-feira (5), em ações realizadas em sete cidades paraibanas. Foram retiradas…