A Paraíba o tempo todo  |

Um milhão de preservativos serão distribuídos com os municípios da Paraíba

“Folia não tem idade! Prevenção também não”. Esse é o slogan da campanha que o Governo do Estado, por intermédio de sua Secretaria da Saúde, lança no próximo dia 12, na arena do Verão Total, Praia do Cabo Branco, na Capital.
CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE

“Folia não tem idade! Prevenção também não”. Esse é o slogan da campanha que o Governo do Estado, por intermédio de sua Secretaria da Saúde, lança no próximo dia 12, na arena do Verão Total, Praia do Cabo Branco, na Capital.

Uma grande mobilização das Gerências de DST/Aids, Ciclo da Vida e do Núcleo de Educação em Saúde da Secretaria de Estado da Saúde (SES) será realizada durante a solenidade que dará o pontapé inicial de mais uma versão da campanha. Na Paraíba, o Programa Estadual de DST/Aids da SES estará disponibilizando para os 223 municípios paraibanos o quantitativo de um milhão de camisinhas para o Carnaval 2009.

A distribuição já está sendo seita por meio das 12 Gerências Regionais de Saúde, responsáveis pelo repasse dos preservativos junto aos municípios das suas áreas de atuação.

A distribuição dos preservativos também acontece através de parceiros da sociedade civil (Sistema S – Sesc, Sesi, Senai, Senac, Senat) e das ONG (Organizações Não-Governamentais). Também já estão celebradas outras parcerias intergovernamentais com os Correios, CBTU, Universidades Públicas, que receberão um CD com o jingle da Campanha para divulgação e cotas específicas de preservativos.

Recebem, ainda, cotas específicas de camisinhas o município de Campina Grande, que detém o segundo maior número de casos de DST/Aids no estado e o chamado “Carnaval das Praias” (Jacumã, Baía da Traição e Lucena).

Como em anos anteriores, a SES prioriza também a capital (iniciando ações a partir da prévia carnavalesca Folia de Rua).

A campanha de Carnaval 2009 dará continuidade à campanha do Dia Mundial de Luta contra a Aids 2008 e terá como público prioritário a população feminina com mais de 50 anos (a anterior era voltada a homens). A campanha é uma resposta à maior tendência de crescimento da epidemia entre mulheres. Além disso, a mulher nessa idade tem pouco poder de decisão no relacionamento.
 

 

SECOM

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE
    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      0
      Compartilhe