Nesta quinta-feira, dia 21 de março, é celebrado o Dia Mundial da Infância, data criada pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) com o objetivo de conscientizar sobre a importância de garantir uma boa formação social, educacional e de valores para as crianças.

A preservação de vínculos afetivos entre pais e filhos é fundamental na garantia desses direitos. Atento a essa questão, um projeto desenvolvido pelo Ministério Público da Paraíba (MPPB) em parceria com as universidades Federal de Campina Grande (UFCG) e Estadual da Paraíba (UEPB) busca dar assistência psicológica a crianças e adolescentes afetados pela alienação parental ou abandono afetivo.

No Projeto “Presente”, crianças e adolescentes já recebem atendimento de psicólogos, pedagogos e assistentes sociais na Promotoria da Família e Sucessões do MPPB, localizada no Complexo Judiciário do bairro da Liberdade, em Campina Grande. A ideia agora é levar o atendimento a escolas públicas, por meio do trabalho de psicodrama e de círculos de conversa para debater o problema e apresentar meios de solução possível e cuidados.

“A partir de uma discussão com a Promotoria, sugeri que além de uma atividade de intervenção, o convênio pudesse ir além, por meio da atividade de prevenção através de uma apresentação do que seja a alienação parental nas escolas. O objetivo é que jovens e professores tenham conhecimento do problema, já que muitas vezes ele é sentido sem que se tenha consciência conceitual do mesmo”, explica o professor de Psicologia da UFCG, Carlos Antonio Guimarães, responsável pela coordenação do projeto na Universidade.  

Na UFCG, o projeto conta com nove estagiários do sétimo período do curso noturno de Psicologia, sob a supervisão do professor Carlos Guimarães. Segundo ele, a proposta é abrir a discussão sobre o tema nas escolas públicas por meio da dramatização. “Do mesmo modo, será exposto um canal de comunicação entre os alunos, a Promotoria e os estagiários, caso haja dúvidas ou mesmo casos concretos de alienação parental. Esta atividade ficará à cargo dos estagiários da UFCG”, acrescenta.  

O projeto deverá ser iniciado em maio, em uma escola pública do Ensino Médio da cidade de Campina Grande. A partir do experimento piloto, a intenção é estendê-lo a outras escolas públicas da região.

Alienação parental

A prática caracteriza-se como toda interferência na formação psicológica da criança ou do adolescente, promovida ou induzida por um dos pais ou responsável. O objetivo, na maior parte dos casos, é prejudicar o vínculo da criança ou do adolescente com o genitor. A alienação parental é um dos temas mais delicados tratados pelo Direito de Família, considerando os efeitos psicológicos e emocionais negativos que pode provocar nas relações entre pais e filhos.

PB Agora

 


Garanta um desconto especial na sua certificação digital no Juristas Certificados Digitais

 

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

PSB e PCdoB e uma frustração em comum dentro da CMJP

Não será dessa vez que o vereador Léo Bezerra, do PSB, assumirá o comando da Câmara Municipal de João Pessoa, nem o suplente do PCdoB, Guga de Jaguaribe tomará posse…

Na PB, representantes de conselhos se unem contra PEC de Bolsonaro

Tramita no Congresso Nacional a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 108/2019, do Governo Federal, que, se aprovada e sancionada, pode enfraquecer ou até mesmo levar a extinção conselhos profissionais e…