A Paraíba o tempo todo  |

Socioeducandos da Fundac concluem curso do Programa Jovem Aprendiz

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE

O Programa Jovem Aprendiz deixa mais uma marca na socioeducação do estado da Paraíba. 20 socioeducandos que cumprem medidas judiciais no Centro Socioeducativo Edson Mota (CSE) e no Centro Educacional do Jovem (CEJ), unidades socioeducativas da Fundação Desenvolvimento da Criança e do Adolescente “Alice de Almeida” (Fundac), receberam certificação de conclusão do curso de Aprendizagem Profissional Comercial em Serviços Administrativos. A solenidade aconteceu, na tarde dessa terça-feira (21), no Cinema do Sesc, em João Pessoa, e contou com a presença dos socioeducandos concluintes, de seus familiares e de representantes dos órgãos responsáveis pela efetivação do Programa no Sistema Socioeducativo do Estado.

O curso de Aprendizagem Profissional em Serviços Administrativos é fruto de um Acordo de Cooperação Técnica entre o Ministério Público do Trabalho (MPT-PB), a Federação do Comércio de Bens e Serviços do Estado da Paraíba (Fecomércio/PB), o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac), a Superintendência Regional do Trabalho (SRT-PB), o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Humano (Sedh) e da Fundação Desenvolvimento da Criança e do Adolescente “Alice de Almeida” (Fundac), o Tribunal de Justiça da Paraíba, o Ministério Público Estadual e a Defensoria Pública do Estado, como também as empresas do comércio de bens e turismo.

Esta é a primeira vez que adolescentes e jovens que cumprem medidas judiciais nas unidades socioeducativas de João Pessoa participam do Programa Jovem Aprendiz no Sistema Socioeducativo, já que a ação teve início em 2020, quando o MPT (Campina Grande), contemplou os adolescentes do Complexo Lar do Garoto com a Aprendizagem Profissional. Com o novo Acordo de Cooperação Técnica, mais 20 socioeducandos da Fundac foram beneficiados com o Programa, sendo 13 jovens do CEJ e 07 adolescentes do CSE.

Waleska Ramalho, presidente da Fundac, acredita que o momento é mais um resultado do que se chama de incompletude institucional, no qual vários atores se unem na responsabilização, no apoio, e no suporte da qualificação profissional de adolescentes e jovens que chegam à política de socioeducação e saem com um projeto de vida e nova perspectiva de transformação social.

“Eu costumo dizer que esse projeto é permeado de estrelas, porque essa política precisa de estrelas para que a gente possa iluminar o sonho, o projeto de vida e a formação profissional de cada jovem e de cada adolescente que o programa jovem aprendiz pôde transformar. É uma honra para a Fundac ter o sistema de justiça e todas as entidades que fazem parte dessa política pública que é a socioeducação no estado da Paraíba, caminhando ao nosso lado. Meus agradecimentos a todos por mais este momento”, disse a presidente da Fundac, lembrando ainda, das direções de unidades, coordenações técnicas, equipes técnicas, e agentes socioeducativos que estiveram presentes em todo o processo.

Jovem Aprendiz é mais uma ação acompanhada e articulada pela diretoria técnica da Fundac, por meio do setor de Profissionalização, Trabalho e Previdência, atualmente coordenado por Andrea Cavalcanti, e o curso de Aprendizagem Profissional Comercial em Serviços Administrativos, fica sob a responsabilidade do Senac, que cumpriu a carga horário de 1.272 horas e ministrou as aulas, em espaços das próprias unidades socioeducativas, no período de dez meses.

Durante a abertura da solenidade de certificação, a procuradora do Trabalho, Maria Edilene Lins Felizardo, destacou a importância da auditora fiscal do trabalho, Joana D’arc Belarmino, e do presidente da Fecomércio, José Marconi Medeiros, para que o projeto se tornasse uma realidade para os adolescentes e jovens que cumprem medidas judiciais em João Pessoa, além de lembrar do empenho de todos que fazem o Sistema de Justiça e das empresas que acolheram o Programa.

Mara Edilene parabenizou ainda o empenho da Fundac e de todos os jovens concluintes e enfatizou: “o projeto, aqui em João Pessoa, está apenas começando, as articulações irão continuar e a pretensão do MPT é ampliar as turmas, ampliar o projeto e alcançar todas as unidades socioeducativas do estado da Paraíba. Seja em regime de internação, semiliberdade ou meio aberto”.

O presidente da Federação do Comércio, Marconi Medeiros, agradeceu as empresas parceiras que contrataram os jovens aprendizes e lembrou das dificuldades que o Brasil vem enfrentando nos últimos tempos, e que mesmo nas dificuldades, elas também têm a sua responsabilidade social e vêm assumindo seu papel no Estado. “Estou encantado com o número de empresas parceiras nesse projeto. É nosso papel contribuir com a sociedade, se a gente conseguir colaborar de alguma maneira, já estamos cumprindo nossa missão”, disse.

“Hoje o que a gente vê aqui nesse ambiente, muito bonito por sinal, é todo mundo torcendo por dias melhores e tenham certeza que vocês vão encontrar dias melhores e eu quero que esse certificado que vocês recebem hoje não seja único, que seja um dos muitos certificados que vocês terão. Só tem uma forma da gente ir vencer na vida é através da educação e do estudo”, falou o presidente da Fecomércio.

Durante a culminância do curso, os convidados tiveram a oportunidade de ouvir a execução do Hino Nacional pelas professoras da Escola Sesc Dom Ulrico, uma apresentação cultural (música) realizada por socioeducandos do CSE, que participaram do Festival Socioeducativo da Canção – Acorde, seguindo com a entrega da certificação de conclusão de curso e assinatura de alvarás dos socioeducandos pelos juízes da Vara de Infância e Juventude de João Pessoa, Antonieta Maroja e Luiz Eduardo Cantalice.

M.S, em nome de todos os socioeducandos presentes, agradeceu à Fundac, Senac, judiciário e equipes das unidades socioeducativas por todo apoio e aos parceiros por trazerem um curso tão valioso para os socioeducandos. “Hoje é um dia de vitórias para nós, pois fomos desafiados a participar deste curso. Independente de tudo, desejo que a gente não mude nossa trajetória, e não paralise nossos sonhos”, falou.

Para o diretor do CEJ, Wendow Lacerda, esta é mais uma data histórica na Socioeducação do Estado: a reunião da conclusão do Programa Jovem Aprendiz com a sua certificação e a tão sonhada progressão de medida para 20 jovens e adolescentes da Fundac. “Agora os jovens e adolescentes detêm de um certificado com o mais alto ato de bravura e coragem e levarão o nome Senac aonde forem, um reconhecimento ímpar em profissionalização”, comentou.

Já Davi Lira, diretor do CSE, acredita estar vivenciando o sentido pleno da socioeducação. “Observamos nesta culminância a união da Fundac, Família, Poder Judiciário, Defensoria Pública, Senac e a iniciativa privada representada pelas empresas parceiras, todos envolvidos em um único objetivo de oportunizar novos horizontes a estes adolescentes e jovens cidadãos paraibanos”, disse.

A solenidade de certificação dos jovens aprendizes contou ainda com a presença do secretário de estado do Desenvolvimento Humano, Tibério Limeira; do diretor Regional do Senac/PB, Geraldo Veras; dos defensores públicos Ricardo José Costa (Geral), Klébia Maria e José Geraldo, da direção do Sesc Paraíba representada por Juliana Fernandes, da diretoria técnica da Fundac, por Luciana Gomes, da diretoria Administrativa da Fundac, por Breno Lemos, das coordenações técnicas e agentes socioeducativos do CSE e CEJ, e da Pastoral do Menor, por Padre Xavier, entre outros.

PB Agora

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE
    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      0
      Compartilhe