Em nota encaminhada à imprensa na manhã desta quinta-feira (24), o Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de João Pessoa tratou como retrocesso a lei aprovada ontem, quarta-feira (23), na Câmara Municipal de João Pessoa, que permite o pagamento da meia passagem em dinheiro, nos ônibus de transporte coletivo.

Segundo o texto, a medida favorece a insegurança e o atraso no percurso, já que uma vez que os estudantes precisariam apresentar um comprovante estudantil para embarcar e garantir o direito da meia passagem.

CONFIRA 

Nota Sintur-JP

O Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de João Pessoa, Sintur-JP, considera um retrocesso do que vem sendo aplicado no transporte público de todo país, o Projeto de Lei 236/2017, aprovado nesta quarta (23), na Câmara de Vereadores de João Pessoa.

Além de favorecer a insegurança nos ônibus, a volta da circulação de dinheiro nos coletivos implica negativamente em muitos outros fatores, como o tempo de embarque dos passageiros, uma vez que os estudantes precisariam apresentar um comprovante estudantil para embarcar e garantir o direito da meia passagem. Hoje, temos um sistema ágil em operação, que é o da biometria facial.

Para o Sintur-JP, se sancionado, este Projeto de Lei pode fragilizar ainda mais o setor, que já se encontra em crise financeira, e refletir no valor da passagem que é paga por todos os usuários.

Redação

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Lígia visita Porto de Cabedelo e destaca importância do equipamento

A governadora em exercício, Lígia Feliciano, realizou, neste sábado (16), uma visita técnica ao Porto de Cabedelo, ocasião em que discutiu investimentos e melhorias para o equipamento. Logo em seguida,…

Vigilância Ambiental intensifica controle da calazar em CG

Os casos de Leishmaniose Canina, conhecida popularmente como Calazar, têm preocupado a Coordenação de Vigilância Ambiental, da Secretaria de Saúde de Campina Grande, que está intensificando o trabalho de coletas,…