A Paraíba o tempo todo  |

Setor de serviços cresce 4,4% na Paraíba em setembro, revela IBGE

Apesar de ser um dos setores mais afetados pela pandemia do Covid-19, o setor de serviços cresceu pelo terceiro mês consecutivo na Paraíba, com alta de 4,4% em setembro, quando comparado ao mês anterior, de acordo com a PMS (Pesquisa Mensal de Serviços), divulgada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) nesta quinta-feira (12). Os meses de julho (2,5%) e de agosto (6,3%) também haviam registrado alta no mesmo comparativo.

A Paraíba registrou alta bem acima da média nacional (1,8%). Regionalmente, 25 das 27 unidades da federação tiveram expansão no volume de serviços em setembro, frente a agosto, acompanhando o avanço observado nacionalmente. Os maiores índices foram Piauí (11,9%); Mato Grosso do Sul (9,1%); Roraima (8,4%); Rio Grande do Norte (6,7%). Pará (6,5%), Alagoas (6,1%), Amazonas (5,4%), Santa Catarina (4,9%), Ceará (4,9%), Bahia (4,8%) e Paraíba (4,4%).

Segundo o IBGE, de agosto para setembro, quatro das cinco atividades pesquisadas tiveram crescimento. As maiores altas vieram de serviços prestados às famílias (9%); Outros serviços (4,8%); serviços de informação e comunicação (2%). Apenas serviços profissionais, administrativos e complementares (-0,6%) tiveram resultado negativo. Também somente um dos setores pesquisados — outros serviços — superou o nível pré-pandemia.

Para o gerente da Pesquisa Mensal de Serviços, Rodrigo Lobo, por conta das circunstâncias da pandemia, muitos trabalhadores ainda estão exercendo suas funções fora do local de trabalho, além de que há muitas pessoas que sequer estão saindo de casa, muito menos viajando. “Por isso, estabelecimentos como restaurantes e hotéis, além do transporte de passageiros ainda não estão funcionando em plena capacidade, atuando como limitadores de um processo mais acelerado de retomada tanto dos serviços prestados às famílias como do setor de transportes como um todo”, explicou.

 

Secom

PUBLICIDADE
    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      0
      Compartilhe