O pacote de propostas elaboradas pelo governo federal para reformar o Estado brasileiro, que foi entregue ao Senado pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, deixou preocupado o senador Veneziano Vital do Rêgo (PSB-PB).

Em pronunciamento no Plenário, o senador Veneziano afirmou que o pacote, que o governo chamou de ‘Mais Brasil’ e foi enviado ao Senado pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, precisa ser analisado com cautela. O pacote foi apresentado por Bolsonaro e pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, na forma de três propostas de emenda à Constituição.

O senador disse concordar em extinguir muitos dos fundos propostos pelo governo e também em facilitar a sua acessibilidade, desde que os recursos não sejam direcionados para a amortização da dívida púbica ou para o pagamento de juros. “Acabar com os fundos ou permitir que esses recursos sejam acessíveis para que investimentos sejam realizados de combate à extrema pobreza, receberão de nós o apoio. Para amortização de dívidas e pagamento de juros, não”, disse Veneziano, na tribuna.

“Quando nos debatemos e quando nós nos deparamos com realidades, como são as realidades sociais que se agravam, trazidas aqui com os números do IBGE, com a realidade que se mostra também inflexível no baixo percentual de investimentos que o Governo Federal tem feito, acabar com os fundos ou permitir que esses recursos sejam acessíveis, conquanto investimentos sejam realizados de combate à extrema pobreza, receberão de nós o nosso apoio, não para amortização de dívidas, não para pagamento de juros, que são escorchantes” afirmou.

Leilão fracassado – Ainda na Tribuna, o Senador Veneziano disse que o leilão do excedente da cessão onerosa do pré-sal, que arrecadou R$ 69,9 bilhões na última quarta-feira (6), foi um fracasso para o governo, já que a equipe econômica esperava uma arrecadação de R$ 106 bilhões.

“O resultado foi bem aquém. Foram R$69 bilhões em vez daquilo que nós imaginávamos, ou seja, R$ 106 bilhões, mesmo sendo dois lotes, o principal deles e um outro paralelamente. Mas a participação se deu, com 95% de recursos da Petrobras. De recursos externos, apenas 5%, chamando-nos a atenção a presença de duas únicas empresas chinesas. É fato preocupante que ninguém pode aqui desconhecer” lamentou o parlamentar paraibano.

Assessoria de Imprensa

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Cai para três número de casos suspeitos de coronavírus no Brasil

O número de casos suspeitos de infecção por coronavírus no Brasil caiu para três, informou o Ministério da Saúde. Segundo o balanço mais recente da pasta, divulgado às 12h de hoje (16),…

Meteorologia prevê chuvas intensas na cidade de Patos, nesta segunda

Neste final de semana choveu bastante na região polarizada pela cidade de Patos, no Sertão paraibano. Segundo dados meteorológicos, em Patos, choveu bastante nos bairros como Maternidade, Santo Antônio, Bivar…