O prefeito Romero Rodrigues (foto) formalizou pedido ao governo federal para que se instale o Programa Escola Cívico Militar em duas unidades de ensino de Campina Grande. Com o ofício, encaminhado ao ministro da Educação, Abraham Weintraub, na prática, Campina torna-se a primeira cidade do Nordeste a pleitear o programa. Está prevista a implementação de 216 colégios até 2023 – 54 por ano, a começar por 2020.

Seguindo o padrão estabelecido pelo MEC, o programa para ser implantado precisa das manifestações conjuntas do Município e do Estado. Nesse sentido, Romero Rodrigues encaminhou dois ofícios com o mesmo objetivo de parceria: um ao governador João Azevedo e outro ao ministro Abraham Weintraub.

De acordo com os ofícios, duas escolas municipais em áreas reconhecidamente carentes de dois bairros de Campina Grande são indicadas para receber o programa que prioriza o ensino militar no sistema de ensino parceiro: a Dr. Chateaubriand, no José Pinheiro, e a Lafayete Cavalcante, nas Malvinas.

Além de agregar valores à melhoria da qualidade no ensino básico no Município de Campina Grande, Romero Rodrigues destaca que a implantação do programa nessas duas escolas em dois dos mais populosos bairros da cidade atingirá os objetivos do “Escola Cívico Militar”: instalação em áreas de vulnerabilidade social, redução dos índices de violência, da evasão, da repetência e do abandono escolar.

Rodolfo Gaudêncio: avanços

Para o secretário de Educação de Campina Grande, Rodolfo Gaudêncio, o município já conta com uma rede municipal onde se destacam iniciativas que viraram referência nacional – como a instalação e ampliação das escolas em regime integral com ensino bilíngue a criação de cargos de cuidadores para crianças especiais e o próprio desempenho evolutivo do Município nos índices do IDEB . “Com a possível nova parceria com o governo federal neste novo programa, avançaremos mais na qualidade da educação municipal”, acredita.

Saiba detalhes sobre o Programa

O modelo de excelência vai abranger as áreas:

– didático-pedagógica: com atividades de supervisão escolar e psicopedagogia para melhorar o processo de ensino-aprendizagem preservando as atribuições exclusivas dos docentes;

– educacional: pretende fortalecer os valores humanos, éticos e morais bem como incentivar a formação integral como cidadão e promover a sensação de pertencimento no ambiente escolar;

– administrativa: para aprimorar a infraestrutura e a organização da escola para aprimorar a utilização de recursos disponíveis na unidade escolar.

Apenas nesses dois últimos pontos haverá a participação dos militares.

Total
1
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Saúde divulga boletim do sarampo e reforça campanha de vacinação neste sábado

O Dia D da campanha de vacinação contra o sarampo acontece neste sábado (19) e a Secretaria de Estado da Saúde (SES) reforça que mais de mil postos estarão abertos…

Incêndio atinge zona rural de Monteiro, na Paraíba

Um incêndio atingiu a zona rural de Monteiro, no Cariri da Paraíba, nesta sexta-feira (18). De acordo com o Tenente Rogério, do Corpo de Bombeiros, uma equipe de militares está…