A Promotora do município de São Bento, Geovana Patrícia, informou em entrevista ao portal PB AGORA que as investigações sobre denúncia de pedofilia envolvendo o prefeito daquela cidade, Jaci Severino de Souza, será encerrada na próxima semana. Mais de 20 pessoas já foram ouvidas por Geovana Patrícia, que preferiu não revelar detalhes sobre o caso e afirmou que novidades somente serão reveladas após a conclusão das investigações.

A última informação sobre o caso dá conta de que uma denúncia anônima ao Disque 100 informa que a família da menor recebeu uma casa localizada no município de Jardim de Piranhas e dinheiro da prefeitura de São Bento como garantia de silêncio. Sobre os boatos que a família tenha recebido também uma motocicleta, Geovana Patrícia diz desconhecer essa denúncia.

O caso foi tornado público após veiculação de matéria no PB Agora no dia 30 de janeiro, quando o portal entrou no ar. A denúncia foi feita ao Ministério Público por uma testemunha anônima, que revelou suposta relação do prefeito com uma menina de onze anos.

Relembre o caso

O prefeito da cidade de São Bento, Jaci Severino de Souza, está sendo acusado de pedofilia, abuso sexual e corrupção de menores por manter um suposto relacionamento amoroso com uma criança de 11 anos. O conteúdo da denúncia foi protocolado ao Disque Denúncia Nacional depois de uma passagem na Curadoria da Infância na cidade de João Pessoa no ultimo dia 22 de janeiro. Segundo a “testemunha x”, tudo começou quando a menor S. C. F. de 11 anos apresentou uma mudança comportamental. Todos imaginavam que se tratava de uma briga entre amigas. Mas os motivos da toda mudança era algo totalmente inesperado.

No depoimento, a “Testemunha X” conta que os pais da menor, Francisco da Costa Fernandes e Ângela Maria da Costa encontraram envelopes de anticoncepcional dentro da mochila escolar da menor, que estuda na Escola Estadual Fausto Meira. Assustada e pressionada, a menor relatou aos pais que fora seduzida e estava mantendo relações sexuais com uma autoridade da cidade. Segunda o relato da “testemunha x” que procurou o ministério público em João Pessoa para denunciar este ato de pedofilia e abuso sexual contra a menor que ainda não completou 12 anos de idade, S. F. C sofreu por várias vezes abuso sexual por parte do prefeito da cidade São Bento, Jaci Severino de Souza, mas conhecido em toda região como “Galego de Souza”.

Transtornada, a família hoje se encontra com medo e acuada de denunciar um caso de selvageria que toda cidade sabe, inclusive o conselho tutelar, mas que ninguém fala, pois o acusado é tido como uma das maiores autoridades políticas e a lei do silêncio predomina em toda região.

Segundo o relato da “testemunha x”, o prefeito “Galego de Sousa” hora faz ameaças, hora tenta cooptar a família prometendo emprego e a quantia de 20 mil reais em troca do silêncio total do caso.

A testemunha conta que resolveu denunciar o caso ao Disque-Denuncia Nacional e ao próprio ministério publico na cidade de João Pessoa. O procedimento recebeu o número “2197534”.

O depoimento começa de forma surpreendente e reveladora. Este é o relato em que se baseia a denúncia.

PB AGORA
 

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Coronel dos Bombeiros é preso em operação contra fraudes em laudos

Uma operação do Ministério Púbico da Paraíba (MPPB) cumpre, na manhã desta sexta-feira (23), na Grande João Pessoa, mandados de busca e apreensão para desarticular um esquema de corrupção na…

Vereador de CG preso na ‘Operação Famintos’ é transferido pra JP

O vereador Renan Maracajá (PSDC) que foi preso nesta quinta-feira (22) na segunda fase da Operação Famintos, em Campina Grande, foi transferido no início da noite para uma penitenciária em João…