Por pbagora.com.br

O governo federal decidiu quem ficará à frente da Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde. Será Arnaldo Correia de Medeiros.

Ele foi indicado pelo líder do PL na Câmara, Wellington Roberto (PB). O partido tem como principal cacique o ex-deputado Valdemar Costa Neto.

Medeiros é professor da Universidade Federal da Paraíba. Leia o currículo. Eis o histórico acadêmico do próximo secretário:

  • 1986 – graduação em Ciências Farmacêuticas pela Universidade Federal da Paraíba;
  • 1989 – mestrado em Bioquímica e Imunologia pela Universidade Federal de Minas Gerais;
  • 1995 – doutorado em Ciências Biológicas (Bioquímica) pela Universidade de São Paulo (1995).

O professor Arnaldo Medeiros tem também tem no currículo passagem pela Imperial Cancer Research Foundation, no Reino Unido e pelo Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo.

A secretaria de Vigilância em Saúde é a responsável por acompanhar a disseminação da Covid-19 no país e pelas ações de prevenção.

O cargo é ocupado temporariamente por Eduardo Macário. O último titular no posto foi Wanderson Oliveira, que deixou o posto em 15 de abril.

A decisão de nomear Arnaldo Correia de Medeiros foi tomada na 2ª feira (1º.jun.2020) no fim do dia. A equipe do ministro interino, general Eduardo Pazuello, entrevistou Medeiros. A nomeação ainda não foi publicada.

Pazuello é interino, mas o presidente já sinalizou que ele deve ficar no cargo por algum tempo. Antes dele, no governo Bolsonaro, comandaram a pasta Luiz Henrique Mandetta e Nelson Teich.

PB Agora com Agenda Capital e Poder 360

Notícias relacionadas

Opinião: aumento, nada! Cícero precisa é exigir conforto para usuários de coletivos

Cícero Lucena sempre foi citado como o prefeito de João Pessoa mais generoso com essa tropa de empresários do setor de transportes coletivos, que deitam e rolam sobre os governos…

Covid: no Sertão, Sousa lidera registro de novos casos nas últimas 24h

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) registrou, nesta quarta (27), 1.213 casos da Covid- 19. Entre os confirmados hoje, 73 (6%) são casos de pacientes hospitalizados e 1.140 (94%)…