Por pbagora.com.br

A Secretaria Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor  (Procon-JP) notificou, esta semana, 12 revendedoras de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) da Capital para que justifiquem os aumentos nos preços de produtos como máscaras, luvas e toucas descartáveis. O Procon-jP vem recebendo denúncias por parte do consumidor sobre possíveis abusividades nos preços desses materiais.

O secretário do Procon-JP, Rougger Guerra, explica que a justificativa da empresa para essa alta nos preços se dará através da entrega das notas fiscais de compra do produto referentes aos últimos três meses junto às distribuidoras. As revendedoras foram notificadas, ainda, para que forneçam as notas fiscais das vendas diárias junto ao consumidor nesse mesmo período. “As empresas terão um prazo de 72h, a partir da data da notificação, para apresentarem os documentos à Secretaria”.

Esse tipo de produto está sendo bastante utilizado pela população desde o início do ano passado devido à pandemia, momento em que iniciou a alta nos preços. “Os EPIs estão sendo uma necessidade básica, porque se trata da proteção contra uma ameaça à saúde das pessoas. Até entendemos a flutuação do mercado e que o aumento da demanda pode até influenciar no preço final dos produtos, mas, há uma aparente exorbitância e a única forma de detectá-la é procedendo a uma investigação”, esclarece Rougger Guerra.

PB Agora

Notícias relacionadas

Mega Sena: ninguém acerta e prêmio vai a R$ 27 milhões

Ninguém acertou as seis dezenas do concurso 2.350 da Mega-Sena, realizado na noite deste sábado (6) em São Paulo. O prêmio acumulou. Veja as dezenas sorteadas: 25 – 28 – 29 –…

Bruno questiona Estado por rebaixamento de CG para bandeira amarela

Através de sua conta na rede social Twitter, o prefeito Cunha Cunha Lima se manifestou, na noite deste sábado, 6, sobre o anúncio do Governo do Estado de que Campina…