A Secretaria Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor está dando continuidade à fiscalização nas lojas da Capital para que cumpram a legislação que proíbe a limitação de um valor mínimo para transações no cartão de crédito. Quem for pego praticando a irregularidade pode ser multado em até R$ 200 mil, além de ter as atividades temporariamente suspensas, em caso de reincidência.

A fiscalização, que não tem data para terminar, faz parte da Operação Não Abuse! do Procon-JP que começou em agosto desse ano e autuou 33 e notificou 20 estabelecimentos que estavam descumprindo a legislação consumerista e impondo limite de valor nas compras em cartão de crédito. A fiscalização do Procon-JP pode suspender, temporariamente, as atividades das lojas que forem reincidentes.

Helton Renê explica que a retomada da fiscalização é necessária porque o Procon-JP ainda está recebendo reclamação sobre o tema. “Ainda constatamos queixas, principalmente através das redes sociais. Por isso vamos retomar a fiscalização e até já estamos nos preparando para o aumento do fluxo no comércio devido às compras de final de ano”, afirmou.

Entidades notificadas – O Procon-JP notificou, em setembro, as entidades representativas dos vários segmentos do comércio, através de ofício, para que cientifiquem seus associados sobre a necessidade da aplicação da lei. “Notificamos a Fecomércio, o Sindifarma, a Associação dos Supermercados da Paraíba e o Conselho Regional de Medicina (CRM) para que tomem ciência e, por sua vez, notifiquem os seus associados”, diz.

À vista e no cartão – Helton Renê chama a atenção do consumidor para a cobrança de preços diferenciados quando se tratar de pagamento à vista ou no cartão. “De acordo com a legislação atual, o comerciante pode cobrar preços diferenciados dependendo da forma de pagamento, além de juros em compras a prazo. Nesse caso, é bom ficar de olho nas taxas e se vale à pena contrair essa dívida. Comprar à vista é sempre melhor”, ressalta.

Atendimentos do Procon-JP:

Sede – segunda a sexta-feira: 8h às 14h na sede situada na Avenida D. Pedro I, nº 473, Tambiá.

MP-Procon – segunda a sexta-feira: 8h às 17h na sede situada no Parque da Lagoa Sólon de Lucena, nº 300, Centro.

Uninassau: segunda a sexta-feira das 8h às 17h, no Núcleo de Práticas Jurídicas da Faculdade Uninassau, na av. Amazonas, 173, Bairro dos Estados.

Telefones: 3214-3040, 3214-3042, 3214-3046, 2107-5925 (Uninassau) e 0800-083-2015.

 

Secom-JP

 


Leia mais notícias sobre o mundo jurídico no Portal Juristas. Adquira seu certificado digital E-CPF ou E-CNPJ com a Juristas. Entre em contato através do WhatsApp (83) 9 93826000

 

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Opnião: Sobre projeto em defesa de mulher vítima de violência e também sobre Iveraldo Lucena

A assembleia Legislativa da Paraíba tem tido um bom desempenho com relação ao delicado momento que o mundo passa com a pandemia do coronavírus. Debates e projetos acerca do assunto…

Menor preço da gasolina na Capital está em R$ 3,699; confira

Pesquisa comparativa para combustíveis realizada pela Secretaria Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor registra que o menor preço da gasolina está em R$ 3,699 mostrando uma alta de 20 centavos em relação ao…