Emenda Constitucional nº 103, que altera as regras de aposentadoria, foi promulgada no último dia 12, no Senado Federal. A medida, que muda o cálculo do benefício e a idade mínima, traz um ponto polêmico. O texto impede a contagem recíproca do tempo de contribuição já concedido.

Em outras palavras, quando um servidor público muda para emprego na iniciativa privada e passa para o regime geral de Previdência, o tempo de contribuição – os recolhimentos mensais – deixam de ser computados, segundo o advogado Guilherme Portanova informou ao jornal O Dia.

Dessa forma, aposentados que fizeram a migração de tempo podem ter que voltar ao trabalho a fim de completar o período que falta.

O parágrafo 3º informa: “considera-se nula a aposentadoria que tenha sido concedida ou que venha a ser concedida por regime próprio de Previdência Social com contagem recíproca do Regime Geral de Previdência Social mediante o cômputo de tempo de serviço sem o recolhimento da respectiva contribuição ou da correspondente indenização pelo segurado obrigatório responsável, à época do exercício da atividade, pelo recolhimento de suas próprias contribuições previdenciárias”. (Com informações de O Dia)

 

Fonte: Metrópoles

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

SES confirma 15° caso de Covid-19 na PB; 12 óbitos estão em investigação

A  Secretária de Estado da Saúde (SES) confirmou que número de pessoas infectadas pelo novo coronavírus (Covid-19) na Paraíba subiu para 15. De acordo com o boletim epidemiológico divulgado nesta…

Filho do presidente da Rede Paraíba de Comunicação morre com suspeita de coronavírus

Faleceu na manhã desta segunda-feira, 30, com suspeita de Covid-19, o publicitário Mateus Zerbone Carlos, de 33 anos, filho mais velho do empresário Eduardo Carlos, diretor-presidente da Rede Paraíba de…