Por pbagora.com.br

O prefeito de Campina Grande Bruno Cunha Lima (PSD) anunciou na tarde desta quinta-feira, 01 de abril, a criação do programa SuperAção, de Apoio às Famílias e Estímulo à Economia Criativa de Campina Grande. Com ele, a prefeitura deve pagar um auxílio emergencial de R$ 400 reais, sendo duas parcelas de R$ 200, à população mais afetada pelas consequências da pandemia.

A indicação 030/2021, que sugere a criação de um auxílio emergencial municipal, é de autoria da vereadora Jô Oliveira (PCdoB) e foi aprovada no dia 17 de março de 2021, em sessão remota da Câmara Municipal de Campina Grande. Agora, com a criação do Programa SuperAção por parte do poder executivo, a expectativa é de que 4 mil famílias sejam beneficiadas, em um investimento de R$ 1,6 milhão, que surge como um complemento ao Auxílio Emergencial que será oferecido pelo Governo Federal.

O benefício deverá ser pago a pessoas desempregadas que tentaram receber o seguro-desemprego e não conseguiram, a músicos, motoristas de transporte escolar e outras categorias afetadas, diretamente, por medidas restritivas impostas na pandemia.

A vereadora Jô Oliveira comemora o atendimento, por parte do poder executivo, a sua indicação para a criação desse auxílio, que será de grande importância para que muitas pessoas possam enfrentar esse momento difícil que estamos vivendo.

“Sabemos que muitas pessoas precisam trabalhar, e muitas vezes em atividades informais, para garantir seu sustento e o de suas famílias, o que as deixa mais vulneráveis a contaminação. Muitas outras tiveram sua renda comprometida ou mesmo ficaram desempregadas nesse momento de pandemia. Por isso, comemoramos a criação desse auxílio, que é importante para garantir condições mínimas para que elas possam fazer o isolamento social, ou ao menos reduzir sua jornada de trabalho, podendo lhes garantir melhores condições de enfrentar essa situação de pandemia”, enfatiza a vereadora.

A parlamentar ainda destaca que a criação desse Programa é parte do dever do município, que deve garantir aos cidadãos a segurança alimentar, bem como o acesso aos meios de proteção contra o Coronavírus, proporcionando condições mínimas de sobrevivência as pessoas mais vulneráveis. Com esse pequeno aumento de renda, essas famílias também terão maior poder de compra, o que vai contribuir com o fortalecimento da economia local, beneficiando a nossa cidade de uma forma geral.

“Estamos vivendo um período difícil, do ponto de vista da saúde, obviamente, mas também enfrentamos problemas do ponto de vista econômico. Com o acesso a esse auxílio por parte das famílias em maior vulnerabilidade, isso também ajuda na movimentação da nossa economia”, destacou Jô Oliveira.

 

Da Redação com Assessoria

Notícias relacionadas

Preço do kg da carne tem variação de até 78% em JP, aponta Procon-PB

A Autarquia de Proteção e Defesa do Consumidor da Paraíba, Procon-PB, através do Setor de Pesquisa e Estatística, realizou nos dias 5 e 6 de abril uma pesquisa de preços…

Sedurb alerta comerciantes informais que atuam na orla sobre cumprimento de decreto

A Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Sedurb) está reforçando a fiscalização do comércio informal na orla neste fim de semana. A ação acontece em razão do cumprimento do Decreto 9700/2021, que…