Por 4 x 1, o Superior Tribunal de Justiça, em julgamento na tarde desta terça-feira (18), decidiu manter o ex-governador da Paraíba, Ricardo Coutinho (PSB) em liberdade, mas impôs algumas medidas cautelares.

Votaram favoráveis à manutenção da liberdade o ministro Sebastião Reis, que acompanhou Laurita Vaz no STJ para negar o pedido da PGR de decretar nova prisão de Ricardo Coutinho. Ele argumentou que, como denúncia contra o ex-governador já foi apresentada, encerrou-se a fase das investigações.

De acordo com o ministro,  como Ricardo já deixou o governo,  não teria capacidade de influenciar os atuais contratos de saúde e educação, focos dos desvios apurados na Operação Calvário.

Os ministros Antônio Saldanha e Nefi Cordeiro também votaram com a relatora.

“A ministra relatora afirmou não há elementos concretos que apontem continuidade de atividade criminosa. Não vejo riscos justificáveis para a prisão cautelar. Já tivemos buscas e apreensões e não há qualquer tentativa de atrapalhar colheita de provas e fuga”, afirmou Nefi.

O ministro Rogério Shcietti foi o único que votou pela negativa do Habeas Corpus.

As medidas cautelares que Ricardo terá que cumprir são:

– Comparecimento Periódico em Juízo
– Proibição de manter contato com os demais réus, exceto seu irmão.
– Proibição de sair da Comarca
– Afastamento de atividade econômica/financeira no Estado da Paraíba (esse mais aplicado aos empresários).

 

PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Coronavírus: câmara frigorífica é instalada no Hospital de Campanha da PB

As obras da construção do Hospital de Campanha para o combate ao coronavírus, no estacionamento do Hospital Metropolitano de Santa Rita, na região metropolitana de João Pessoa, iniciadas na última…

Homem é executado a tiros na cidade de Desterro, Sertão da PB

A cidade de Desterro, no Sertão da Paraíba, foi palco de um assassinato na manhã deste domingo (05). Um homem, identificado como José Rilton da Silva Benedito, de 29 anos,…