Por pbagora.com.br

A capital paraibana, onde se localiza o Ponto Mais Oriental das Américas, assiste estarrecida a destruição da enseada do Cabo Branco, início e fim desse referencial geográfico de importância mundial. O pior de tudo o que está acontecendo é que a destruição decorre de uma malfadada intervenção realizada pela Prefeitura Municipal, sob o pífio argumento de estar realizando obras costeiras, obras essas que sequer possuem Licenciamento Ambiental completo, tão pouco Estudos de Impacto Ambiental (EIA).

Os danos ambientais que hoje convertem extensa faixa de praia arenosa em um depósito de pedras, podem ser não apenas irreversíveis, como também atingir praias mais ao norte, uma vez que os efeitos dessas obras costeiras estão se propagando rapidamente ao longo da enseada do Cabo Branco. No local das obras, o ponto mais oriental da Américas, está por sua vez sendo convertido em um depósito de areia, sedimento que deveria estar mantendo o equilíbrio sedimentológico da enseada do Cabo Branco, soterrando corais e outros habitats naturais, com impactos irrecuperáveis para a fauna e a flora marinhas.

É preciso que se faça algo. Em anexo, artigo e fotografias que comprovam o desastre ambiental em curso.

CONFIRA

Artigo_orla_Cabo_Branco

 

Redação com Amigos da Ponta do Cabo Branco

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Motorista passa mal, perde o controle de carreta e morre, na PB

Na manhã desta quinta-feira (06)  uma carreta tombou  na rodovia que liga a cidade de Sapé à Cruz do Espírito Santo. De acordo com as informações o motorista da carreta…

Veneziano homenageia João Pessoa pelo aniversário de 435 anos

O Senador Veneziano Vital do Rêgo (PSB/PB) parabenizou João Pessoa pelo seu aniversário de 435 anos, comemorados nesta quarta-feira (05). Em sua homenagem, realizada por meio de um vídeo publicado…