Por pbagora.com.br
Imagem ilustrativa

Uma mulher suspeita de aplicar golpes em proprietários de apartamentos de luxo foi presa pela Polícia Civil nesta segunda-feira (1) em João Pessoa. A jovem se apresentava como médica para convencer as vítimas a entregar as chaves do imóvel sem o pagamento dos aluguéis acordados. Depois, simulava os pagamentos enviando comprovantes bancários falsos para os credores. Pelo menos três pessoas já procuraram a delegacia para relatar prejuízos causados por ela.

O caso está sendo investigado pela Delegacia de Defraudações e Falsificações de João Pessoa (DDF/JP). Segundo a delegada Andréa Melo, a suspeita foi presa em flagrante delito no momento em que fazia mais uma vítima. Ela procurou o dono que colocou o apartamento para alugar pelo valor de R$ 2 mil por mês.

“A suspeita disse que pagaria R$ 24 mil de uma só vez, pelo aluguel referente a um ano. E pediu para entrar no apartamento antes de fazer o acordo, pagando apenas R$ 1 mil. O dono aceitou e, quando chegou o prazo da mulher pagar os R$ 24 mil combinados, ela passou a dar desculpas e chegou a enviar um falso demonstrativo bancário simulando o pagamento, para enganar o proprietário”, explicou a delegada.

Após ser acionada, a Polícia Civil descobriu que outras pessoas também teriam sido vítimas. Segundo as investigações, a suspeita se apresentava como uma pessoa de boa condição financeira para alugar imóveis de alto padrão, mas não pagava os compromissos.

“Diante dos fatos, nossas equipes decidiram dar voz de prisão à autuada, que responderá por crime de estelionato. A mulher foi conduzida ao sistema prisional e ficará à disposição da Justiça”, destacou a delegada.

 

Secom

Notícias relacionadas

Mais de 20 animais silvestres são resgatados na Paraíba no fim de semana

O Batalhão de Polícia Ambiental (BPAmb) resgatou 26 animais silvestres que apareceram no meio urbano, entre a sexta-feira (5) e o domingo (7), nas cidades que integram a Grande João…

MP enquadra Prefeitura de Santa Rita para que praças sejam acessíveis

A Promotoria dos Direitos Sociais e Individuais Indisponíveis de Santa Rita, através da promotora Anita Bethânia Silva da Rocha, instaurou Inquérito Civil Público para apurar as condições de acessibilidade de…