Por pbagora.com.br

O imbróglio em torno do superfaturamento nas obras do Parque da Lagoa continua rendendo capítulos e o mais atual diz respeito a uma ação que a Prefeitura de João Pessoa impetrou na Justiça contra o ex-secretário de Infraestrutura e atual coordenador do Patrimônio Cultural de João Pessoa, Cássio Andrade, além do ex-secretário de Planejamento Romulo Polari, Newton Euclides da Silva, Eugênio Régis Lima e Rocha, Rodrigo Sarmento Serrano e a Compecc Engenharia Comércio e Construções por improbidade administrativa.

A ação, que tem a 6ª Vara da Fazenda Pública da Capital como órgão julgador, acusa os citados de dano ao erário, enriquecimento ilícito, violação aos princípios administrativos e adjudicação de R$ 2.674.449,41 (dois milhões, seiscentos e setenta e quatro mil, quatrocentos e quarenta e nove reais e quarenta e um centavos) durante as obras da reforma da Lagoa.

De acordo com a Procuradoria, os acionados devem ressarcir aos cofres  públicos da capital paraibana o valor apontado pela Polícia Federal como tendo sido superfaturados durante a referida obra.

A PMJP ingressou com a ação sob o risco de responder por omissão.

PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Eleições 2020: MPE verifica acessibilidade em seções eleitorais de João Pessoa

O Ministério Público Eleitoral está acompanhando a preparação dos locais de votação das Eleições 2020, principalmente, no que se refere à acessibilidade. Esta semana, a promotora eleitoral Dulcerita Alves está…

Programa Empreender PB assina 108 contratos em domicílio

O Programa Empreender PB realiza, a partir desta terça-feira (20) até a sexta-feira (23), a assinatura de 108 contratos em domicílio, atendendo empreendedores da 2ª região, com um investimento de aproximadamente R$ 670…