Por pbagora.com.br

EXCLUSIVO: A promotora da cidade de São Bento, Geovana Patrícia Queiroz do Rego inicia na tarde hoje (2) a apuração de denúncia, veiculada com exclusividade pelo PB Agora na última sexta-feira, apontando caso de pedofilia envolvendo o prefeito de São Bento, Jaci Severino da Silva (PMDB).

Hoje ela recebeu a denúncia de forma oficial através do Disque Denúncia Nacional e juntamente com o conselho tutelar da cidade iniciará as oitivas começando pela menor, pais e todos os familiares.

Em entrevista por telefone ao PB Agora a promotora se declarou perplexa e disse que a apuração chegará a verdade: “Essa denuncia chegou oficialmente na manhã de hoje na cidade de São Bento, e a promotoria deve começar todas as investigações nesta tarde”.

O Ministério Público não vai se furtar e vai apurar, pois não importa se o acusado é o prefeito. Vamos até o fim, pois a denuncia é muito grave e faremos tudo que for necessário para esclarecermos este fato”, declarou a promotora.

A denúncia encaminhada ao Disque 100 Nacional consiste no depoimento de uma testemunha que descreve minuciosamente toda a história. Consta no depoimento que os pais da menor, Francisco da Costa Fernandes e Ângela Maria da Costa encontraram envelopes de anticoncepcional dentro da mochila escolar da menor, que estuda na Escola Estadual Fausto Meira. Pressionada, a menor relatou aos pais que fora seduzida e estava mantendo relações sexuais com uma autoridade da cidade.

Segunda o relato, S. F. C. sofreu por várias vezes abuso sexual por parte do prefeito da cidade São Bento, Jaci Severino de Souza, mas conhecido em toda região como “Galego de Souza”.

A “testemunha x” acusa o prefeito “Galego de Sousa” de praticar ameaças, hora tentando cooptar a família prometendo emprego e a quantia de 20 mil reais em troca do silêncio total do caso.

Para a promotora de São Bento, a impunidade em caso iguais a este sempre se dão pela omissão de um denunciante: “O problema destes casos é que culturalmente as pessoas tomam conhecimento, mas não tem a coragem de denunciar. Um dos pecados da impunidade é a omissão. Muitos casos como estes deixam de chegar até o Ministério Público por falta de denuncia, mas neste caso não, temos a denuncia de forma oficial e vamos apurar” finalizou Giovana.

PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

UFPB auxilia governo do estado para instalação de banco de alimentos

A pandemia da covid-19 fez crescer o número de pessoas em situação de vulnerabilidade social no Brasil e no mundo. O agravamento do problema do desemprego nesse período acendeu uma…

R$ 40 milhões: em leilão virtual, grupo empresarial do RN compra Hotel Tambaú

Pelo valor de R$ 40,020 milhões, foi arrematado na tarde desta quinta-feira (29), durante leilão virtual, o Hotel Tambaú. O arremate foi feito pelo Grupo  Arnaldo Gaspar, do Rio Grande…