Apesar de serem considerados os elementos mais frágeis no Direito, as testemunhas serão as provas primordiais da investigação sobre denúncia de pedofilia envolvendo o prefeito de São Bento, Jaci.


A informação é da própria promotora responsável pelo caso, Geovana Patrícia Queiroz Galvão. “Esta investigação se dará essencialmente pela oitiva de testemunhas. Se precisarmos de algo mais, solicitaremos”, declarou a promotora.


Ela não fixou prazo para fim da apuração nem quis adiantar se já possui elementos que sinalizem para o crime. “Mas garanto que estamos envidando todos os esforços para concluirmos o caso o mais rápido possível”, disse Geovana, que já ouviu o prefeito, a menor citada na denúncia e ainda os pais da menina.


O caso foi tornado público após veiculação de matéria no PB Agora no dia 30 de janeiro, quando o portal entrou no ar. A denúncia foi feita ao Ministério Público por uma testemunha anônima, que revelou suposta relação do prefeito com uma menina de onze anos.

PB Agora

 

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Senador Veneziano lamenta fracasso do leilão do pré-sal e faz alerta

O pacote de propostas elaboradas pelo governo federal para reformar o Estado brasileiro, que foi entregue ao Senado pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, deixou preocupado o senador Veneziano Vital…

Evangélicos realizam Luau Legacy no próximo sábado em João Pessoa

A principal atração do primeiro Luau Legacy de João Pessoa será o grupo Lagoinha Music, membros da Igreja Batista da Lagoinha, igreja que nasceu o Ministério Diante do Trono. O…