A Paraíba vai começar a produzir sementes de girassol e mamona para o Programa Nacional de Biodiesel, da Petrobras. O projeto será desenvolvido em 56 municípios, beneficiando 1.000 agricultores familiares, que poderão fazer o cultivo numa área total de 2 mil hectares.

As primeiras ações estão em andamento. Nesta segunda-feira à tarde, o secretário do Desenvolvimento da Agropecuária e da Pesca, Ruy Bezerra Cavalcanti Júnior, coordenou reunião com os presidentes da Emater, da Emepa, técnicos da Petrobras e da secretaria, oportunidade em que foram traçadas as primeiras medidas para a execução do programa de biodiesel.

O objetivo geral é incrementar a produção de sementes de girassol para produção de óleo combustível a fim de proporcionar a redução de poluentes do diesel, melhorando a qualidade ecológica ambiental das cidades. O projeto vai contribuir com a geração de novos postos de trabalho, aumentar a renda e melhorar a qualidade de vida dos agricultores familiares.

O secretário Ruy Bezerra Cavalcanti afirmou na reunião que o Governo do Estado tem o programa de biodiesel como uma de suas prioridades pela viabilidade econômica, social e ambiental.

Paulo Roberto Moreira Dias, Gerente de Suprimento da Usina de Biodiesel de Quixadá, da Petrobras, no Ceará, participou da reunião na Secretaria do Desenvolvimento da Agropecuária e da Pesca. Ele afirmou que o programa no Estado será desenvolvido já na safra 2008/2009.

As fases iniciais são a distribuição de sementes, assistência técnica e depois a compra de grãos produzidos. O financiamento é do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA). Na Paraíba a principal cultura será o do girassol, mas haverá ainda o cultivo de mamona. O Governo do Estado, a Petrobras e demais parceiros estão agilizando as etapas do programa por conta do calendário agrícola que já avança.
A produção da Paraíba, a exemplo dos estados do Rio Grande do Norte, Piauí, Ceará e Pernambuco, será destinada para a base da Petrobras em Quixadá, no Ceará.

A cultura do girassol será implantada nas regiões de Itabaiana, Guarabira, Solânea, Areia, João Pessoa, e Campina Grande, abrangendo o Brejo, Agreste, Curimataú e Litoral. A prioridade é assistir pequenos produtores de base familiares inscritos no Pronaf – Programa Nacional de Agricultura Familiar, localizados principalmente em áreas de assentamentos ou em outras áreas com potencialidade para cultivo do girassol.

A princípio, serão capacitados 25 técnicos com a cultura do girassol e outros dez técnicos estarão diretamente envolvidos na execução do programa. O girassol é uma fonte importante de óleo comestível. A produção mundial hoje é superior a 20 milhões de toneladas anuais de grãos.
 

 

 

Assessoria

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Justiça proíbe RC de viajar com o filho menor para o exterior

Uma decisão do juiz da 1ª Vara da Família de João Pessoa, Antônio Amaral, proíbe que o ex-governador da Paraíba Ricardo Coutinho (PSB) deixe o país em companhia de seu…

Desdobramentos: Aguinaldo Ribeiro vê crise no PSL e desarticulação política

O presidente da comissão especial da reforma tributária, deputado Hildo Rocha (MDB-MA), disse ao Congresso em Foco que pretende marcar para novembro a votação da proposta, independentemente do governo. “Se…