Por pbagora.com.br

Durante entrevista coletiva com a imprensa nesta segunda-feira (26), a Polícia Civil informou que o padre José Gilmar, pároco da Paróquia Santa Teresinha, no bairro do Roger, em João Pessoa, que passou três dias desaparecido e depois foi encontrado em Conde, mudou versão de sequestro e afirmou que mentiu em relação ao sumiço.

De acordo com a polícia, o padre chegou a dizer que pensou em cometer suicídio.

“A Delegacia de Homicídios já tinha informações suficientes de que essa versão apresentada por ele não condizia com a verdade. Mas tivemos mais uma semana para trabalhar”, disse a delegada.

Ele declarou que desapareceu após sofrer uma extorsão de R$ 50 mil e teria ido ao Litoral Sul dirigindo o seu próprio carro.

“Ele confessou que havia mentido no primeiro depoimento e que não foi sequestrado. Na verdade, o relato do mesmo é que ele estava sendo extorquido. Pessoas haviam feito a cobrança de R$ 50 mil na redes social e, num gesto de desespero, ele decidiu dar cabo a própria vida. Ele disse que viajou sozinho no carro para o Litoral Sul, tentou se afogar. Ficou dois dias dentro do carro, orando, e decidiu se entregar à polícia”, explicou  o delegado Luciano Soares.

Segundo ele, o religioso será autuado por falsa comunicação do crime e denunciação caluniosa.

PB Agora

 

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

João Campos vence Marília Arraes e é novo prefeito de Recife

João Campos, com 56,01% dos votos, está matematicamente eleito. Ao todo, 91,65%das urnas foram apuradas até o momento. De acordo com o último levantamento Datafolha antes do segundo turno, divulgado…

“Tranquilo”, avalia presidente do TRE-PB sobre primeiras horas da votação em JP

O presidente do Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB), desembargador Joás de Brito Pereira Filho, avaliou de forma positiva as primeiras horas da votação em João Pessoa, a única cidade…