Por pbagora.com.br

O deputado estadual e pré-candidato à prefeitura de João Pessoa, Walber Virgolino (Patriota) entrou em rota de colisão com integrantes de um grupo de whatsapp, neste domingo (20), após a repercussão negativa de uma fala sua, durante debate na TV Arapuan na última quinta-feira (17), em que ‘defende  corrupção’, e acabou ameaçando trazer à tona um inquérito policial contra um dos adversários na disputa.

Segundo apurado pela reportagem do PB Agora, o inquérito a que Walber se referia seria contra o também pré-candidato à prefeitura de João Pessoa, Nilvan Ferreira, do MDB, que é citado como nome apoiado pela pessoa rebatida pelo parlamentar na conversa do grupo de whatsapp.

VEJA O PRINT

“O povo sabe quem presta e quem não presta. Isso aí foi um lapso que não incrimina minha vida em nada. Eu tenho passado. Agora teu candidato não tem não (….). Eu tenho inquérito policial do seu candidato. Quer que eu mostre?”, disse Walber no áudio postado no grupo para rebater as críticas.

OUÇA

 

Ainda segundo Walber, o integrante do grupo que estava tecendo as críticas está em busca de contracheque , dinheiro fácil, por isso usava o lapso da declaração em prol da corrupção como munição contra ele.

“O que eu estou dizendo eu assumo que é pra não ter dúvidas que sou eu que estou falando”, disse Virgolino em outro áudio.

Já em um vídeo postado nas redes sociais, Walber agradeceu a repercussão gratuita de seu nome devido ao lapso na declaração. Ele disse que todos sabem que a construção da frase foi errada naquele momento devido ao cansaço e que, na prática, quem reponde a inquérito são seus adversários e não ele.

“O tiro saiu pela culatra. Jornalistas de todo Brasil tentaram ridicularizar minha fala, mas me deram ibope a nível nacional porque sou aliado de Bolsonaro. Mas esse ibope é positivo, porque enquanto criticam uma fala por conta do cansaço, mostro o meu currículo. De todos o melhor currículo é o meu, sou ficha limpa. A grande maioria responde processo, e quem não responde a processo é ligado a pessoas que respondem processos criminais por corrupção”, cutucou.

VEJA O VÍDEO 

O CASO BOLSONARO

Walber lembrou que em 2018 o hoje presidente Jair Bolsonaro também foi atacado durante a campanha eleitoral, e acabou sensibilizando os eleitores e vencendo a eleição.

“Estou com mais de 500 mensagens de solidariedade, o povo dizendo que está comigo. Bolsonaro começou assim, sendo atacado, injustiçado, e o povo criando raiva e vocês viram no que deu né. Aqui vai no mesmo embalo”, disse.

OUÇA

OUTRO LADO 

A reportagem do PB Agora entrou em contato com o pré-candidato Nilvan Ferreira (MDB) na manhã deste domingo (20) para falar sobre o tema, mas ele disse que a declaração de Walber não foi contra ele, já que não responde inquérito algum por corrupção, por isso não iria comentar o assunto.

“Não foi comigo. Eu não respondo inquérito algum por corrupção. Portanto, não vou responder ao assunto”, disse.

PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Feriado de finados pode ter comércio aberto em Campina Grande

O comércio de Campina Grande poderá funcionar normalmente na próxima segunda-feira, feriado do Dia de Finados, desde que o patrão pague o abono e conceda folga dentro do período de…

Bombeiros vistoriam unidades comerciais e de serviço na região de CG

O Corpo de Bombeiros Militar da Paraíba (CBMPB), por meio da Diretoria de Atividades Técnicas (DAT) em conjunto com o 2º Comando Regional de Bombeiro Militar (2º CRBM), realizou, de…