Depois de retirar os camelôs da área, a Prefeitura de João Pessoa bem que poderia determinar ao seu setor competente uma limpeza geral no centro da Capital. Eu prefiro acreditar que o prefeito Luciano Cartaxo há muito não circula pela área central de Jampa e, com toda a certeza, não está sabendo da situação.

Como diria o jornalista José Euflávio, a situação está de vaca desconhecer bezerro, principalmente no entorno da Praça João Pessoa, exatamente onde fica a sede dos Três Poderes. No entorno do Tribunal de Justiça, sobretudo por aquele lado onde fica o Pavilhão do Chá, o lixo ta quase dando na canela.

O bom seria mesmo que o centro da Capital fosse todo bem tratado e limpo como é o Parque Solon de Lucena. Ali, sim, dá gosto frequentar. Estive lá ontem (18) e, confesso, dá gosto frequentar aquele parque. Sem dúvida, foi o maior feito do prefeito Luciano Cartaxo em sua gestão, pelo menos até agora.

Catando

O governador João Azevedo e seu time político estão em campo buscando conquistar a adesão de lideranças pelo interior do Estado – prefeitos e vereadores. Estão abordando, sobretudo, os caquinhos que sobraram das oposições que foram esmagadas nas eleições passadas, em sua maioria órfãos do ex-senador Cássio Cunha Lima, hoje sem mandato e sem poder.

Agora que Cássio está sem mandato, a galera tá buscando em João Azevedo uma tábua de Salvação. Assim sendo, não tem sido difícil amealhar um bom número de conquistas

Em Serraria

Na minha terra, a turma que há séculos acompanhava o senador Cássio Cunha Lima e também o ex-deputado Rômulo Gouveia, embarcou de mala e cuia no projeto de João Azevedo, depois de um trabalho bem feito do deputado Tião Gomes, de convencimento.

Constituição

Este ano, a Constituição da Paraíba estará completando 30 anos, precisamente no dia 5 outubro, data em que a Carta Magna foi promulgada, no ano de 1989.

A mais recente Constituição paraibana foi preparada em meio a um clima de acirrada disputa entre o então governador Tarcísio de Miranda Burity (PMDB) e o deputado João Fernandes, presidente da Assembleia Estadual Constituinte, do mesmo partido do governo, mas dissidente.

João disputou a Presidência do Poder Legislativo, para também presidir a Constituinte, com o então líder do governo de Burity, o deputado Ramalho Leite.

O então governador Tarcísio Burity não prestou juramento a Constituição promulgada sob a presidência de João Fernandes. A questão foi parar no Supremo Tribunal Federal.
Foi a partir desta brincadeirinha ai que Burity levou uma baita rasteira da Assembleia, o governo ficou de cofres vazios e a Paraíba pagou um preço caríssimo. Sobretudo os funcionários públicos, que passaram seis meses com seus salários atrasados, muitos deles passando fome.

 

Wellington Farias

PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Meteorologia prevê chuvas intensas na cidade de Patos, nesta segunda

Neste final de semana choveu bastante na região polarizada pela cidade de Patos, no Sertão paraibano. Segundo dados meteorológicos, em Patos, choveu bastante nos bairros como Maternidade, Santo Antônio, Bivar…

ANÁLISE – Governo precisa radicalizar na equipe de articulação política sob pena da gestão fracassar

A última votação para a criação da PB Saúde deixou muito claro que é imperiosa a necessidade de o Governo agir rápido para tentar compor uma base aliada sólida. O…