Por pbagora.com.br

O tema da coluna de hoje é uma assumida carona no comentário feito por Gutemberg Cardoso, no seu programa radiofônico. Comentário muito oportuno, por sinal, montado sobre uma peça publicitária que o Governo do Estado começou a divulgar e que também recebi no meu zap.

Coincidência

Instantes antes de ouvi-lo, havia tido a mesma sensação externada no comentário quando, caminhando pelas ruas de Serraria – onde me recupero de uma cirurgia e me preparo pra outra – passou por mim a equipe policial militar, sob o comando do Cabo Rildo, meu ex-aluno de violão. Estava a bordo de uma reluzente viatura policial, novinha tinindo. Foi inevitável a comparação com um passado recente em que o carro da polícia da minha querida cidade era uma catrepa – é assim que nós brejeiros denominamos carros imprestáveis para uso – estacionada na porta da cadeia pública, com os quatro pneus furados, a lataria toda amassada e, dentro, um monte de gaiolas de passarinhos. Utilidade zero, enquanto a zona rural era esvaziada com os agricultores indo “morar na rua” expulsos pela bandidagem.

Publicidade, mas…

Embora seja uma propaganda oficial e, portanto, vise a dourar a pilula, a tal peça publicitária nos remete a uma Paraíba que orgulhosamente se destaca no cenário nacional, como referência de projetos de gestão pública de bons e inquestionáveis resultados. Por projetos entenda-se os oito anos da gestão do ex-governador Ricardo Coutinho, que imprimiu essa nova realidade promissora do Estado, e agora continuada, com notória eficiência pelo governador João Azevedo.

Diga-se de passagem que a gestão de Azevêdo, que começou tímida, de março pra cá embalou e já dá sinais de que não será inferior às de Ricardo Coutinho. O que, convenhamos, não será surpresa prá ninguém.

A Paraíba de fato não é a Suíça mostrada na peça publicitária, porque nela não estão as nossas mazelas. Mas também é preciso verificar que estas tais mazelas das quais parecemos, são decorrentes de um contexto nacional.

Comparem a Paraíba de hoje com os Estados vizinhos, sobretudo, o Rio Grande do Norte. Neles, praticamente só restam as mazelas e nada mais; a quebradeira é geral e as dificuldades só aumentam.

A Paraíba nos últimos oito ou nove anos vem apresentando índices positivos em quase todos os setores. E não é verdade que nas duas últimas gestões só se fez estrada. Curiosamente, este e o discurso daqueles que não andam Paraíba à fora para ver grandes investimentos também no setor hídrico, na Educação, na Segurança, na Saúde.
Temos problemas?! Temos, e sérios problemas. Mas, apesar dos pesares, vivemos uma situação bastante confortável, sobretudo se comparados com outros Estados ricos do País, como Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro etc.

Onde estão os problemas? Ai é tema para outra coluna…

 

Wellington Farias
PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Ney avisa que, apesar de Bolsonarista, no Senado seu partido será só a PB

O empresário Ney Suassuna (Republicanos) viaja amanhã, sexta-feira (25) para Brasília onde vai apresentar a documentação requerida para a posse como senador na vaga deixada pelo titular, Veneziano Vital do…

Quatro bairros de João Pessoa ficam sem água nesta sexta-feira

A Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (Cagepa) vai precisar interromper o abastecimento de água nesta sexta-feira (25), das 7h às 21h, em cinco bairros de João Pessoa: Polo…