Por pbagora.com.br

O especialista em sistemas de água e projetos sanitários do Banco Mundial, Luís Alfonso Alvestegui, conheceu, entre os dias 26 e 28 deste mês, nas comunidades rurais dos municípios de Barra de São Miguel, Amparo, Sumé e Santo André, projetos de abastecimento d’água, dessalinizadores e outras ações produtivas. A segunda missão do Banco Mundial encontra-se na Paraíba, desde terça-feira (25), e permanece até esta sexta-feira (28). Eles estão supervisionando e apoiando na execução do Paraíba Rural Sustentável/ Projeto Cooperar.

No município de Barra de São Miguel, Luis Alfonso, representando Javier Jahnsen, da Gerência de Resultados do Bird e Ditmar Alfonso Zimath, consultor do Banco Mundial, que permaneceram na sede do Cooperar dando continuidade à reunião de supervisão para implementação do projeto, conheceu nas comunidades de Riacho Fundo e da Cruz, os sistemas de abastecimento d’água completos que contemplam 108 famílias com água nas torneiras e outro poço para o consumo animal.

Alfonso estava acompanhado de Gilson Frade, assessor da coordenação geral do Cooperar, que na ocasião representava o secretário executivo do órgão, Omar Gama, além de Francisco Costa, coordenador do Componente II e dos gerentes regionais Assis Delgado (Sumé) e Sebastião Oliveira (Soledade). Eles foram recepcionados pelo prefeito João Batista Truta, pelo presidente do Conselho de Desenvolvimento Comunitário de Barra de São Miguel, Pedro de Sousa Santos e pela presidente da Associação Comunitária de Riacho Fundo e da Localidade da Cruz, Cida Gomes.

No Assentamento Fazenda Mata, na cidade de Amparo, Alfonso teve a oportunidade de conhecer o sistema de dessalinização produtivo que tem a missão de dessalinizar a água para o consumo humano e, ainda, faz utilização da água concentrada do equipamento para produção de peixes e irrigação da erva sal (forrageira).  No município de Sumé, na comunidade Pitombeira, o sistema de dessalinização simples tem por meta produzir água potável para o consumo humano sem a utilização produtiva do concentrado. Este projeto é disponibilizado apenas para o uso animal e outras utilidades com evaporação do excedente salino.

Também na comunidade Lagoa, pertencente ao município de Santo André, Alfonso pôde ver o sistema de dessalinização vertical que produz água potável para o consumo humano com utilização do concentrado para uso animal e fins domésticos, possibilitando, também, a utilização para ações produtivas. Esses três dessalinizdores foram construídos pelo Programa Estadual Água Doce, em parceria entre os Governos estadual e federal através do Ministério do Meio Ambiente, da Secretaria de Infraestrutura, dos Recursos Hídricos e do Meio Ambiente (Sirhma) e do Projeto de Desenvolvimento Sustentável do Cariri, Seridó e Curimataú (Procase). Nessas localidades, Luís Alfonso foi conduzido pelo coordenador estadual do programa Água Doce, Robi Tabolka.

“Foi uma visita muito produtiva onde pude observar o funcionamento de um abastecimento d’água completo e outro complementado pela própria comunidade, além da parceria das prefeituras com a sociedade que considero muito importante”, disse Luís Alfonso, acrescentado que a tecnologia dos dessalinizadores só veio ajudar a essas comunidades e que a perspectiva do Banco Mundial é continuar prestando assistência ao homem do campo.

PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Raíssa ignora orientação do Avante e segue em campanha ao lado de Edilma Freire

Apesar da orientação do Avante para que seus filiados sigam a determinação da legenda de apoiar o nome do ex-senador Cícero Lucena (PP) na disputa pela prefeitura de João Pessoa,…

Emissão gratuita de documentos acontece a partir desta segunda em João Pessoa

A partir desta segunda-feira (21), começa a emissão gratuita de documentos no Espaço Cultural, em João Pessoa. O mutirão é fruto da ação do Programa Cidadão que será realizada de…