Por pbagora.com.br

Levantamento revela que na região Nordeste elas lideram 49% dos novos negócios. Nesta terça-feira (11), Sebrae Paraíba reconhece empreendedorismo feminino na etapa estadual do Prêmio Sebrae Mulher de Negócios

 

O empreendedorismo feminino tem ganhado força em todo o país. Dados da pesquisa divulgada nesta segunda-feira (10) pela Global Entrepreneurship Monitor (GEM) revelam que as mulheres estão à frente de 52% das novas empresas – com menos de 3,5 anos – no Brasil. Apenas no Nordeste, os homens são maioria (51%) no comando das empresas iniciais. Na região, as mulheres assumem a liderança de 49% dos novos negócios.

 

O estudo identificou que a maioria das mulheres (66%) abre uma empresa por oportunidade e 44% abre por necessidade. Entre as empresas já estabelecidas no mercado, com mais de 3,5 anos, os homens estão no comando de 58% das empresas enquanto as mulheres administram 42% dos negócios.

 

De acordo com a gestora do prêmio Sebrae Mulher de Negócios na Paraíba, Maria José Menezes, apesar da pesquisa não oferecer dados estaduais, estes percentuais traduzem o mercado local. “Entre os microempreendedores individuais (MEI) que temos na Paraíba, que estão dentro do que a pesquisa define como novas empresas, 45%, são mulheres. Isso mostra que o empreendedorismo feminino também é crescente no nosso estado”, destacou Maria José. As principais áreas de atuação das empresárias enquadradas no MEI são cabeleireiras, comércio de armarinho, comércio de vestuário e acessórios, comércio de cosméticos e fabricação de bijuterias.

 

Nesta terça-feira (11), o Sebrae Paraíba vai reconhecer as trajetórias de vida de mulheres paraibanas que, com visão e perseverança, transformaram o sonho de ter seu próprio negócio em modelo de empreendedorismo feminino, na solenidade de entrega do Prêmio Sebrae Mulher de Negócios – Edição 2013. Serão premiadas as primeiras colocadas na categoria Pequenos Negócios, Produtora Rural e Microempreendedora Individual, no Garden Hotel, em Campina Grande, às 17h. As primeiras colocadas das três categorias irão concorrer na etapa nacional no 25 de fevereiro, em Brasília.

 

“Nesta edição, tivemos um número expressivo de inscrições, 100 candidatas ao prêmio. Foram 62 proprietárias de micro e pequenas empresas, 10 produtoras rurais e 28 microempreendedoras individuais. A participação das empresárias paraibanas tem crescido a cada edição e isso tem garantido uma maior visibilidade do empreendedorismo feminino no cenário nacional”, destacou a gestora estadual do Prêmio Sebrae Mulher de Negócios, Maria José Menezes.

 

Pesquisa GEM

Dados revelados pelo Sebrae, a partir da pesquisa Global Entrepreneurship Monitor (GEM), mostram que a cada 100 brasileiros que começam um negócio próprio no Brasil, 71 são motivados por uma oportunidade de negócios e não pela necessidade. Esse é o melhor índice já registrado desde o início da pesquisa, há 12 anos. Em 2002, apenas 42% das pessoas abria uma empresa por identificar demanda no mercado, enquanto os demais tinham o empreendedorismo como única opção, por não encontrar alternativas no mercado de trabalho.

 

Ter seu próprio negócio é um dos três principais sonhos do brasileiro, atrás apenas de comprar a casa própria e viajar pelo Brasil. Fazer carreira em uma empresa vem em oitavo lugar entre os desejos dos entrevistados. “Sonhar é tão fundamental quanto se planejar. A maioria dos entrevistados afirma não ter medo de fracassar, o que é positivo, mas para ter sucesso o empreendedor também precisa investir na sua capacitação e buscar um diferencial para seus produtos e serviços”, pondera o presidente do Sebrae Nacional, Luiz Barretto.

 

Na percepção do brasileiro, 84% consideram que abrir sua própria empresa é uma opção desejável de carreira. Além de um grande mercado consumidor e dos avanços na legislação – em especial a redução de impostos do regime Supersimples –, um dos fatores que mais fortalece o empreendedorismo no País é o aumento da escolaridade: quase a metade dos novos empreendedores tem pelo menos o segundo grau completo. Entre os novos empresários que estão cursando ou já completaram o ensino superior, 92% iniciaram o negócio por oportunidade.

 

De acordo com a pesquisa, 50% dos empreendedores com até três anos e meio de atividade têm entre 18 e 34 anos, enquanto nas empresas que estão há mais tempo no mercado apenas 25% são dessa faixa etária.

 

A pesquisa GEM, uma iniciativa da London Business School e Babson College, é feita em 68 países. No Brasil, ela é patrocinada pelo Sebrae e realizada pelo Instituto Brasileiro de Qualidade e Produtividade (IBQP), em parceria com a Fundação Getúlio Vargas (FGV). Foram entrevistadas 10 mil pessoas de 18 a 64 anos, de todas as regiões, e 85 especialistas em empreendedorismo. Entre os ouvidos pela GEM estão desde pessoas que estão se preparando para iniciar um empreendimento até os que já estão estabelecidos no mercado.

Notícias relacionadas

Comissão da ALPB aprova concessão de Medalha Epitácio Pessoa a Juliette

A Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJ) da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) aprovou a concessão da mais alta honraria do Poder Legislativo, a Medalha Epitácio Pessoa, à maquiadora…

Governo abre 20 novos leitos de UTI nos regionais de Cajazeiras e Pombal

O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES), ampliou para 181 o número de leitos exclusivos para Covid-19, no Sertão e Alto Sertão da Paraíba.…