O Tribunal de Justiça da Paraíba lamenta a morte do desembargador aposentado Manoel Paulino da Luz, ocorrida na manhã desta sexta-feira (19). O desembargador, com 82 anos de idade, foi vítima de infarto. O corpo será velado no Cemitério Parque das Acácias, em João Pessoa e o enterro está previsto para acontecer às 16h.

O presidente do TJPB, desembargador Márcio Murilo, disse sentir muito o falecimento de Manoel Paulino. “Mais um amigo que parte para outro plano. De origem humilde, foi oficial da polícia e juiz de Princesa Isabel. Atuou com seriedade nas execuções penais e Tribunal do Juri. Passou vários anos na Corregedoria. Muito Amigo de meu Pai. Deus no Comando!”, ressaltou.

O desembargador Manoel Paulino deixa viúva a senhora Nena Souza Luz. Ele tem dois filhos, Georgina Luz e Hugo Luz. Conforme informou a esposa, o magistrado estava internado para hemodiálise e havia sofrido três paradas cardíacas, não resistindo a terceira, que aconteceu na manhã desta sexta, vindo a falecer às 8h.

Manoel Paulino da Luz nasceu em Araruna, em 18 de dezembro de 1937. Sua vida acadêmica teve início na própria cidade de Araruna, vindo depois a aperfeiçoar sua educação em estabelecimentos de Ensino de João Pessoa, onde cursou o primário, no Grupo “Thomas Mindello”, no Centro da Capital, e o secundário no Lyceu Parahybano. Concluiu o curso de Ciências Jurídicas e Sociais, em 1972, pela Faculdade de Direito da Universidade Federal da Paraíba. Em 1975, se submeteu a um concurso público para juiz de Direito e, já em 1977, era nomeado para sua primeira Comarca, na cidade de Conceição.

Passou sucessivamente pelas comarcas de Alagoa Nova (1980), Princesa Isabel (de 1982 a 1986), Esperança, Uiraúna, Cuité, Picuí, Pombal, Queimadas e Campina Grande (1986), alcançando finalmente a Comarca da Capital (1992), onde exerceu, entre outros cargos da Magistratura, a Auditoria Militar e Juizados diversos. Antes, fora, ainda, juiz substituto nas unidades judiciárias de Bonito de Santa Fé, Itaporanga e Princesa Isabel.

Em 23 de agosto de 2006 foi eleito, no Pleno do TJPB, por unanimidade e pelo critério de antiguidade, para o cargo de desembargador, ocupando a vaga deixada pela aposentadoria do desembargador Antônio Elias de Queiroga. Ele foi o 117º desembargador da Corte de Justiça paraibana, onde atuou até a aposentadoria.

Por Lila Santos/Gecom-TJPB

Compartilhar: Facebook Twitter Whatsapp

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Em 18 meses da Operação Calvário, 55 envolvidos já foram denunciados

Desde dezembro de 2018, quando foi deflagrada a Operação Calvário, o Ministério Público da Paraíba denunciou 55 pessoas acusadas de integrarem o esquema criminoso que desviou recursos públicos de áreas…

CCJ da ALPB aprova criação do Memorial Covid-19 para homenagear vítimas

A Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJ) da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), aprovou na manhã desta terça-feira (14), por unanimidade, o projeto de lei 1.841/2020, que institui o…