Faleceu às 19 horas desta terça (03)  no Hospital da Unimed o O Maestro Severino Vilô Filho que encontrava-se  internado desde sábado com complicações cárdiorespiratórias, geradas pela diabetes.

O corpo está sendo velado no Parque das Acácias e o sepultamento ocorrerá às 16 horas desta quarta-feira.

Natural da cidade de Serra Branca, o homenadeado traz a música na sua carga genética, sendo filho do também inesquecível Maestro Vilô, irmão do saudoso Maestro Ninô e do saxofonista Geraldo Araújo. Ele chegou a João Pessoa em 1956, vindo de Rio Tinto, onde trabalhou no comércio. Mas foi na Capital que começou sua carreira musical, sendo aluno do Tenente Leonel da Polícia Militar. A partir daí comprou um trompete e não parou mais de tocar, principalmente ritmos carnavalescos, como o frevo, formando pequenos grupos e atuando em organizações maiores, a exemplo da banda da Polícia Militar e da Orquestra Tabajara.

Com o passar dos anos, o maestro resolveu criar a sua própria orquestra, a ‘Orquestra Tupi de Frevos’, que animou durante vários anos, os principais carnavais de clube de João Pessoa. Vilô foi casado duas vezes, tem seis filhos, dos quais três (Marcos, Márcia e Marcelo Vilô) mantêm a tradição familiar, seguindo a carreira do pai. Entre os grandes parceiros da sua trajetória musical estão os maestros Severino Araújo, Cipó, Guedes Peixoto e Nelson Ferreira.

 

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Desembargador Ricardo Vital destina R$ 399 mil ao HU para aquisição de 2.660 testes para Covid-19

O desembargador Ricardo Vital de Almeida, relator do processo da Operação Calvário, deferiu pedido formulado pelo Ministério Público da Paraíba (Gaeco) no sentido de destinar o montante de R$ 399.000,00,…

Covid-19: o Antagonista repercute posição de secretário contra carreatas na PB

A declaração do secretário de Saúde da Paraíba, Geraldo Medeiros, ao classificar a manifestação dos comerciantes que querem retornar imediatamente ao trabalho de ‘carreata da morte’ ganhou repercussão na imprensa…