Após ter a prisão mantida durante audiência de custódia, a esperança da defesa  do ex-governador da Paraíba, Ricardo Coutinho (PSB), recai agora no Superior Tribunal de Justiça, que vai decidir se mantém o entendimento da justiça estadual ou se concederá liberdade.

Inicialmente, processo foi distribuído por dependência à ministra Laurita Vaz, a mesma que negou os pedidos de liminar impetrados por Coriolano Coutinho e Gilberto Carneiro. Porém, como a Justiça já está em regime de plantão, a análise será de responsabilidade do presidente da Corte, ministro João Otávio de Noronha, que se averbou suspeito para julgar o Habeas Corpus interposto pelos advogados do ex-governador, Ricardo Coutinho (PSB), preso na 7ª Fase da Operação Calvário. O ministro é pai do advogado contratado por Coutinho.

Agora, caberá ao ministro Napoleão Nunes Maia Filho, escolhido para apreciar o pedido, decidir se solta ou não o ex-governador. A expectativa é que a decisão saia até a próxima terça-feira (24), véspera de Natal.

Ricardo é apontado pelo Ministério Público da Paraíba (MPPB) como chefe de uma organização criminosa investigada no âmbito da Operação Calvário.

Mais cedo, o juiz Adilson Fabrício decidiu manter a prisão do político e o encaminhou para Penitenciária de Segurança Média de João Pessoa.

 

PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Van obtida com emenda de Wilson Filho reforça Saúde do município de Tavares

Um pleito antigo dos moradores de Tavares foi atendido com a atuação do deputado estadual Wilson Filho (PTB). O parlamentar destinou uma emenda no valor de R$ 245 mil para…

Alerta de perigo potencial de chuvas é emitido pelo Inmet para toda a PB

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), emitiu um novo alerta amarelo de chuvas com perigo potencial para toda Paraíba. De acordo com o alerta, todos os 223 municípios paraibanos estão…