“O Sertão vai virar mar”. A frase proferida por Euclides da Cunha no livro “Os Sertões”, está se concretizando. As fortes chuvas que tem caído na Paraíba, tem molhado a terra, enchido rios, açudes e elevado consideravelmente a reserva hídrica do Estado. Com as cheias dos principais rios que cortam o Estado, como os rios Paraíba, Taperoá e Piancó, 41 açudes atingiram a capacidade máxima de armazenamento estão sangrando, conforme dados divulgados pela Agência Executiva de Gestão das Águas do estado (Aesa).

Entre os açudes que estão com mais de 100% da capacidade estão o reservatório de São Gonçalo, em Sousa, no Sertão, o açude Jatobá e a barragem da Farinha em Patos, o açude do Cordeiro, na cidade de Congo e do município de Camalaú, no Cariri da Paraíba. Já o reservatório de Camalaú, no Cariri, transbordou após 11 anos e está com um volume de 48.190.726 m³. As águas que jorraram desses mananciais seguem para o açude Epitácio Pessoa em Boqueirão.

O açude Jatobá sangrou na tarde desta quarta-feira, após 11 anos. Em meio a sangria, parede do sangradouro apresenta várias fissuras, preocupando a população da região, que fez o registro da situação. Apesar da estrutura precária do sangradouro do açude, o Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (DNOCS) afirmou que o processo de escoamento ocasionado não compromete a estrutura do local. Porém, uma empresa já foi contratada para, posteriormente, realizar os reparos necessários.

O Jatobá, que já foi o principal açude no abastecimento da cidade de Patos, teve sua construção em 1952 no governo de José Américo e sangrou pela primeira vez no dia 25 de março de 1960.
A sangria proporciona sempre um espetáculo que inevitavelmente chama a atenção da população. As águas jorrando por cima dos paredões das barragens formam uma imensa cachoeira, e um espetáculo de beleza incomparável.

Segundo a Aesa, dos 134 açudes da Paraíba, 65 estão com capacidade superior a 20% do seu volume total, entre eles o Açude de Boqueirão, que acumula 63,72% de sua capacidade; a barragem Coremas, com 38,38%; Mãe-d’Água (38,12%) e Engenheiro Ávidos, em Cajazeiras (44,01%).

Mesmo com as chuvas e 15 açudes estão em situação crítica, com menos de 5% do volume. Entre os açudes que permanecem em situação crítica estão os reservatórios Capivara em Uiraúna, no Sertão, e Jandaia, em Bananeiras, no Brejo da Paraíba.

O açude Epitácio Pessoa, em Boqueirão, que abastece Campina Grande e região, amanheceu neste sábado (25) com 297.930.285 metros cúbicos e está com 63,86% de sua capacidade, de acordo com o Dnocs. Responsável por abastecer Campina Grande e mais 18 municípios do Compartimento da Borborema, Boqueirão está a menos de 4 metros para atingir o volume máximo e transbordar.

Com capacidade para armazenar 411,686 milhões de metros cúbicos de água, o manancial foi inaugurado em 16 de janeiro de 1957 e logo se transformou na principal fonte de abastecimento de Campina Grande.
Desde a inauguração, em 1957, Boqueirão sangrou 18 vezes, nos anos de 1967, 1968, 1973, 1974, 1975, 1976, 1978, 198, 1984, 1985, 1986 1989. Depois ele passou 15 anos sem sangrar.

Severino Lopes
PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Vai faltar água em bairros de João Pessoa nesta terça, diz Cagepa

Cagepa executa manutenção corretiva e abastecimento de água será suspenso em três bairros da capital A Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (Cagepa) vai precisar interromper o abastecimento de…

API, EPC e ALPB promovem live “Juntos pela Imprensa” na próxima 2ª feira

A Associação Paraibana de Imprensa (API), a Empresa Paraibana de Comunicação (EPC) e a Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) estão promovendo uma live solidária intitulada “Juntos Pela Imprensa” com artistas…