A Paraíba o tempo todo  |

Júlio Paiva nega prisão e revela-se surpreso com notícia

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE

O Bispo Dom Júlio Paiva da Igreja Brasileira ,em contato com a reportagem do PB Agora, na manhã deste sábado, revelou-se surpreso com a notícia veiculada pela imprensa, dando conta que ele havia sido preso ontem à noite dentro da sala de aula na Unesc, no bairro do Alto Branco, onde cursa Direito, acusado de racismo.

Segundo Dom Júlio, houve um acirrado debate acadêmico em sala de aula, onde o tema tratado era “racismo”. Em certo momento deste debate, o bispo teria mencionado a seguinte afirmação: “O crime de racismo só se caracteriza quando alguém chama alguém de negro. Quando alguém deixa de fazer algo em favor ou desfavor de alguém por menção da cor ou da raça. Por exemplo: como é que nós chamávamos os policias antigamente? Macaco.” afirmou Júlio Paiva.

Neste momento alguém saiu da sala e comunicou em tom de fuxico ao agente da policia federal de nome Antonio Carlos Melo que estuda na mesma sala. O debate ficou acalorado entre o bispo e o agente federal, mas no final tudo ficou esclarecido, segundo o Dom Júlio Paiva.
 

 

ENTREVISTA COM O BISPO JÚLIO PAIVA

 

Clilson Júnior

PB Agora

 

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE
    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      0
      Compartilhe