Por pbagora.com.br

Mesmo em meio à pandemia do novo coronavírus e diante das medidas restritivas decretadas pelo governador João Azevêdo e o prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo, a  juíza da 2ª Vara da Fazenda Pública da Capital, Silvanna P.B. Goveia Cavalcanti, acatou pedido do Sindicato do Comércio Varejistas e Material Óptico, Fotográfico e Cinematográfico da Paraíba e autorizou abertura  dos estabelecimentos vinculados ao sindicato funcionem com atendimento presencial em João Pessoa durante decreto de calamidade pública.

A magistrada apontou em sua decisão que os serviços oferecidos pelas óticas estão diretamente ligados à saúde e ao desenvolvimento das atividades essenciais do cidadão.

“Os varejos óticos atendem emergência de usuários de óculos de altas correções, as quais sem a disponibilização e utilização dos óculos o paciente fica totalmente privado de suas atividades diárias e, podendo ainda, sofrer acidentes”, diz um trecho da sentença.

Apesar de autorizar a abertura, a juíza determina que o funcionamento dos estabelecimentos fique condicionados ao cumprimento das normas de proteção, como atendimento individual e o uso obrigatório de máscaras.

PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Polícia Federal nega que João Azevêdo tenha sido alvo da 9ª fase da Calvário

O delegado da Polícia Federal Conrado de Almeida, em entrevista nesta terça-feira (27), confirmou que o governador João Azevedo não foi um dos alvos da nova etapa da Operação Calvário…

Energisa é condenada a indenizar consumidora por interrupção prolongada na véspera do Natal

A empresa Energisa Borborema – Distribuidora de Energia S/A foi condenada a indenizar uma consumidora que teve a energia de sua casa interrompida na véspera do Natal, em 24/12/2015, só…