Mais de 39 mil páginas foram geradas no relatório feito pela perícia da Polícia Federal após extração do conteúdo do smartphone do empresário Roberto Santiago, preso desde o último dia 22 durante a 3ª fase da Operação Xeque-Mate.

De acordo com o documento, Santiago utilizava o seu poder econômico para influenciar nas licitações principalemnte de empresas de coleta de lixo em Cabedelo.

Na representação criminal, Polícia Federal e Gaeco apontam um "comportamento criminoso serial" dada a "atuação de Roberto Santiago no âmbito da administração municipal de Cabedelo/PB, desde a compra do mandato do ex-prefeito Luceninha para possibilitar a assunção do mandato por Leto Viana que culmina com as negociatas envolvendo os contratos de lixo da Prefeitura municipal”, diz trecho do inquérito.

A reresentação aponta que inicialmente o empresário buscava barrar a construção do Shopping Pátio Intermares, em Cabedelo, mas teria se aproveitado o poder econômico para obter poder político junto a Leto Viana.

Santiago receberia, ainda conforme a representação, um repasse mensal que variava de R$ 100 mil a R$ 120 mil enviados pelo então prefeito Leto Viana, como reembolso pelo valor pago na compra do mandato do ex-prefeito Luceninha.

PB Agora

 


Garanta um desconto especial na sua certificação digital no Juristas Certificados Digitais

 

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Paraibano lança curso ensinando fazer robôs em plataforma internacional

Todos nós conseguimos perceber mudanças cada vez mais velozes no mundo. Em menos de uma década, passamos dos computadores de mesa e ambientes conectados apenas através de cabos para uma…