O Hospital de Emergência e Trauma Dom Luiz Gonzaga Fernandes, em Campina Grande, que integra a rede hospitalar do Governo do Estado, vem apresentando mudanças positivas com as reestruturações e capacitações e novos protocolos clínicos recomendados pelo Projeto Lean nas Emergências, do Ministério da Saúde, por intermédio do Proadi/SUS em parceria do Hospital Sírio Libanês.

Nesta quarta (4) e quinta-feira (5), o hospital está passando pela terceira etapa do Projeto Lean nas Emergências, que tem o objetivo de reduzir a superlotação nas urgências e emergências de hospitais públicos e filantrópicos. O treinamento está acontecendo no auditório da instituição.

O chefe do Núcleo Médico do Trauma-CG, José Bezerra da Silva Júnior, observou que o hospital já apresenta melhorias no funcionamento do serviço, conseguindo ter alguns leitos com maior rotatividade e consequente disponibilidade para outros pacientes, a exemplo da área vermelha que obteve uma redução de 50% da permanência dos pacientes neste setor.

“Em relação a alguns setores já é possível ver a presença da implantação da metodologia 5S, em termos de organização e funcionamento operacional do setor dando dinamismo e agilidade aos processos de trabalho”, afirmou José Bezerra.

De acordo com Bezerra, o Projeto Lean nas Emergências vem modificando a rotina do hospital com os colaboradores sendo treinados no processo de trabalho e, com isso, tem melhorado o seu desempenho no setor e a assistência ao usuário SUS.

Segundo o enfermeiro da área vermelha, José Roberto Miranda Silva, esse projeto veio trazer qualidade na assistência ao paciente devido à maior rotatividade dos leitos e também na melhoria da produtividade do profissional de saúde e mais organização do setor.

“Nós estamos tendo aqui bons resultados com a aplicação do Projeto Lean nas Emergências. Os colaboradores estão tendo mais tempo para se dedicarem a atividades que realmente importam, como a segurança do paciente e a qualidade no atendimento”, afirmou Roberto.

Terceira etapa – Segundo o consultor do projeto, Dr. Raimundo Nonato Filho, na terceira etapa do Lean nas Emergências terá a continuidade do mapeamento dos fluxos da emergência e hospitalares. “Hoje será desenhado pela equipe o fluxo de chegada do paciente à instituição, para que possamos identificar quais são os pontos a serem melhorados para acolhimento e atendimento” destacou ele.

De acordo com Dr. Raimundo, no treinamento serão usadas algumas metodologias, como Value Stream Mapping e dinâmica do Spaguetti. São dinâmicas ativas em que os participantes de todos os setores atuam efetivamente no desenho do fluxo atual e em brainstorm farão as propostas de melhoria.

Outra via é a melhora da comunicação, em que haverá introdução e treinamento de uma metodologia denominada Huddle, sendo a possibilidade de em uma rápida reunião entender a atual situação da instituição.

Hospital de Trauma de João Pessoa – Os colaboradores do Hospital Estadual de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena, em João Pessoa, que integra a rede hospitalar do Governo do Estado, também participaram de treinamento do Projeto Lean nas Emergências nessa terça-feira (3) e quarta-feira (4), no auditório da Unidade de Saúde, ministrados pelos consultores do Hospital Sírio-Libanês, de São Paulo.

Segundo o diretor técnico do hospital, Emerson Medeiros, o projeto, do Ministério da Saúde e implementado pelo Hospital Sírio-Libanês, mostrou-se eficaz em reduzir a superlotação e melhorar o atendimento nas emergências de hospitais que atendem pelo Sistema Único de Saúde (SUS). “Nós que fazemos parte da instituição recebemos o Projeto Lean como prioridade um, pois o Lean trabalha para melhorar processos com base no tempo, assegurando fluxos contínuos e eliminando desperdícios e atividades de baixo valor agregado”, frisou.

O coordenador médico do Projeto Lean nas Emergências, Welfane Cordeiro Júnior, palestrou sobre a superlotação em serviços de emergência e explicou a importância da adoção de novas ferramentas de gestão, visando melhorar o fluxo dos pacientes. “Queremos melhorar o processo de entrada, a passagem e a saída, sem desperdício de recurso material e profissional, e com o mínimo de esforço ao paciente”, pontuou.

O Lean nas Emergências faz parte do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde (Proadi-SUS) para o triênio de 2018 a 2020. Implementado por meio do Hospital Sírio-Libanês, o projeto tem como foco a redução da superlotação de hospitais de urgência e emergência públicos e filantrópicos.

A coordenadora do Serviço Social do Trauma, Neuma Ribeiro, ressaltou a importância do Projeto. “O projeto, além de agregar conhecimento para nossos profissionais, auxilia na implementação de melhorias, garantindo uma assistência segura, eficaz e de qualidade para os usuários. Durante seis meses, a equipe do Sírio Libanês desenvolverá atividades in loco, com acompanhamento de ações e indicadores de atendimento, e isso facilitará nossos processos garantindo um serviço ágil e de qualidade”, afirmou.

 

Redação com Secom/PB

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Quase 9 mil candidatos faltam às provas do concurso da UFCG

Quase 9 mil candidatos faltaram às provas do concurso público para seleção de servidores técnico-administrativos, realizado pela Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) neste domingo, dia 15. Dos 26.340 candidatos…

CCJ da CMJP considera inconstitucional projeto que revogava título de cidadão de Bolsonaro

Nesta segunda-feira (16), a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP) manteve o título de Cidadão Pessoense ao Presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL). De…