O apresentador dos principais programas do Sistema Arapuan FM, tanto no Ràdio, quanto na TV, Heron Cid comunicou nesta segunda-feira (19) seu desligamento do Sistema Arapuan após quatro anos na empresa.

Em uma carta pública, divulgada à imprensa, o comunicador ressalta que seu sentimento é apenas de gratidão e afirma que novos projetos virão.

LEIA NA ÍNTEGRA

Carta de Gratidão

O tempo passa. Já são quatro anos que aqui pousei os pés no Sistema Arapuan. Nesse ninho, encontrei abrigo para projetos novos, apoio para ideias e liberdade plena para voar no jornalismo.

De primavera em primavera, conquistas nos caminhos percorridos. A criação de dois novos programas, o Frente a Frente, na TV Arapuan, e o 60 Minutos, naquilo que passamos a chamar e ficou batizada de Rede Arapuan de Rádio.

Mais tarde, a conjuntura, a fraternidade e a solidariedade me levaram ao exílio voluntário para o Rádio Verdade, hoje Arapuan Verdade.

Sinto como perfume a consciência da dedicação, devoção e o profissionalismo com qual me dediquei a todos esses formatos, os que criei e os que adotei. Me doei a todos com esmero, com alma e coração.

Suponho que experiência acumulada e a paixão visceral pelo meu ofício, creio, contribuíram em algum grau para a consolidação dos programas a que me dediquei com profundo respeito a esta empresa e ao público.

Mas, eis que avisto já há algum tempo no horizonte um crepúsculo de um novo momento particular, tantas vezes adiado pelo espírito de equipe e por renúncia pessoal e, às vezes, também, admito, pelas dúvidas.

Elas, as dúvidas, já não existem mais. A postergação, dialogada já há algum tempo e reiteradamente com a direção deste Sistema, foi positiva e forjou este passo no amadurecimento, na serenidade e na confirmação de espírito.

Quem abdica de espaços tão preciosos, de programas de destaque que, certamente, nove em cada dez jornalistas gostariam de desfrutar e ocupar?

Somente uma certeza interior maior do que as vaidades, superior ao ego e um sentimento latente são capazes de confortar e explicar. Vem como uma Boa Nova.

Esta carta não é um mero e formal pedido de demissão, apenas. É uma epístola de gratidão.

Aos companheiros que dividiram comigo microfones, câmeras, sonoplastia, reportagens, produção, cortes, caracteres, efeitos.

Fiz e levo daqui muitos amigos. E muitos aprendizados, lições de irmandade, de humildade e compreensão, tudo simbolizado a partir do presidente deste grupo, você, João Pereira de Moura Neto, João Gregório, o filho vencedor de Jatobá.

O desapegado e desprendido João que nunca me deixou sentir funcionário, mas sempre me tratou como parceiro, ensinando sem cartilha e nem diploma o que é ser um líder servidor, que ouve, acolhe e delibera.

E, principalmente, que se mistura e que participa na dor e no sorriso.

Essa é minha hora. É hora de desengavetar projetos pessoais tantas vezes adiados pela “zona de conforto” e revisitar, com mais tempo, prazo e nova rotina, gritos do coração, vozes da alma.

Ela me desconforta a prospectar, garimpar e descobrir o novo. Sem nunca esquecer, porém, da caminhada e de todas as mão estendidas.

A Arapuan me estendeu a mão com generosidade nesses quatro anos. Hoje, eu me despeço da mesma forma que entrei: de mão estendida, de coração aberto, cabeça erguida, com fé em Deus e fé na vida!

João Pessoa, Paraíba, 19 de Agosto de 2019

Heron Cid Cesar Soares de Madrid

 

 

Redação

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Águas do Rio São Francisco devem chegar em 30 dias ao açude de Boqueirão

As águas do Rio São Francisco já estão correndo outra vez na Paraíba, e a perspectiva é que em 30 dias elas inundem o açude Epitácio Pessoa em Boqueirão. As…

Começam os preparativos para viagem de Lady para o Santuário de Elefantes no MT

A Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), por meio da Secretaria de Meio Ambiente (Semam), e o Santuário de Elefantes do Brasil (SEB), no Mato Grosso, deu início aos preparativos…