O secretário de Segurança e Defesa Social do Estado, Gustavo Gominho, declarou em entrevista à imprensa desconhecer qualquer direito garantido por lei aos delegados de Polícia Civil  que não estejam sendo cumpridos. Indagado sobre a remuneração de plantões aos finais de semana e a garantia de jornada de 40 horas semanais, Gominho assegurou não passar de uma “sugestão” da classe.

“Não há nada garantido em lei, isto é apenas uma sugestão que eles deram a não ser o adicional noturno, que mandei fazer um estudo, pois se trata de um direito que está na Constituição”, afirmou Gominho. “Até onde sei, o único benefício previsto pela Constituição Federal que ainda não vinha sendo aplicado é o do adicional noturno”.

Com relação à gratificação de delegados do interior do estado, Gominho afirmou se tratar de um ponto delicado.“A lei que aprovaram no governo passado não contempla as delegacias que não são sedes de comarca”, informou. E foi mais além:“Não há nenhum incentivo para o delegado ir trabalhar neste tipo de delegacia. Então, há uma briga hoje para se tornar chefe de delegacia que possui comarca”.

Segundo Gustavo Gominho, foram apresentadas várias sugestões, que atualmente estão  sendo analisadas pela equipe do secretário de Administração, Antônio Fernandes, que irá estudar uma maneira de incentivar os policiais.

Sobre a questão da remuneração dos plantões, o secretário afirmou que é outro ponto que deve ser discutido, pois alguns policiais são contemplados e outros, não.

Sobre as declarações da Associação de Defesa das Prerrogativas dos Delegados (Adepdel), de que delegados do interior respondem 24 horas pelas delegacias que comandam, Gustavo Gominho foi irônico, ao afirmar que em municípios como Bernardino Batista e Poço de José de Moura, os delegados irão colar uma rede e dormir, pois não irão trabalhar nunca. “Na realidade estes profissionais não estão de plantão, e sim de sobreaviso, pois eles dormem”, alfinetou Gominho.

“O problema não é da forma que foi exposto. A Polícia Federal, por exemplo, possui delegacias que são comandadas por um único delegado, que fica de plantão onzes meses por ano, só deixando o plantão quando está gozando de férias”, comparou o secretário.

Para o secretário, plantão cumprido é aquele em que o profissional fica acordado. “O cara que dorme não é plantonista”, ressalta.

Confira a entrevista

 

 

 

Thiago Moraes

PB AGORA

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Rota Cultural Raízes do Brejo movimenta Serra da Raiz no próximo fim de semana

Serra da Raiz, distante 120 km de João Pessoa, promove neste fim de semana a quinta etapa da Rota Cultural Raízes do Brejo, que envolve nove municípios da região. A…

João Azevêdo confirma presença em Encontro de Administradores Tributários

O governador João Azevêdo confirmou presença no 2º Encontro de Administradores Tributários da Paraíba (EAT), que será realizado nos dias 7 e 8 de novembro, no Centro Cultural Ariano Suassuna,…