Por pbagora.com.br

Funcionários do Banco do Brasil na Paraíba decidiram em assembleia virtual realizada na noite desta sexta-feira (5), aprovar o estado de greve contra a reestruturação anunciada pela empresa. O plano da direção do banco é fechar três agências e mais postos de atendimento no estado. Como forma de impedir o fechamento e a demissão de funcionários, os trabalhadores paralisarão os atendimentos por 24h nesta quarta-feira (10), nas 67 agências e 36 postos de atendimentos (PAAs) espalhados pelo estado.
O ato acontece também em todo o país e mobiliza todo o quadro de funcionários da empresa, uma vez que mais de 5 mil trabalhadores poderão ser desligados e mais de 300 agências encerradas no Brasil.

Apesar de ter anunciado o plano de reestruturação, o banco não revela de forma oficial quantas agências no total serão fechadas no estado, mas segundo os próprios funcionários, a previsão é que os locais encerrados sejam: a agência Parque Solon de Lucena, localizada no bairro de Tambiá e a agência do Jardim Cidade Universitária, ambas em João Pessoa. Já em Campina Grande, a agência Jardim Paulistano, na Avenida Assis Chateaubriand.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Bancários da Paraíba, Lindonjhonson Almeida, a adesão ao estado de greve é a forma mais viável de pressionar o banco e tentar impedir o processo de desmonte da empresa. “O estado de greve é um alerta para que a direção do banco e o governo se atentem para as reivindicações dos trabalhadores e abram negociação para que se evite a deflagração da greve. Os funcionários estão pressionando o banco para que o mesmo seja transparente e abra negociações com relação ao plano que prevê a demissão de 5 mil funcionários (em plena pandemia), além do fechamento de 112 agências, 242 postos de atendimento e sete escritórios. Na Paraíba, mais de três agências e sete postos de atendimento estão na mira do banco para serem desativados”, avaliou.
A categoria decidiu em assembleia que, se até quarta-feira, 10 de fevereiro, não houver uma negociação satisfatória, bancários e bancárias do BB vão paralisar as atividades por 24 horas, podendo permanecer com novas paralisações.

Ainda segundo Lindonjhonson, o banco se comprometeu em última reunião realizada em conjunto com o Ministério Público do Trabalho (MPT) submeter a pauta com os pontos destacados pela Contraf-CUT à instância superior e trazer a resposta até a próxima audiência com o MPT, nesta segunda-feira (8). Segundo ele, “os funcionários querem negociar e pedem que o banco seja transparente com o plano que está em implantação para que os trabalhadores não sejam prejudicados”, disse.

Assessoria

 

Notícias relacionadas

Cícero diz que não recebeu planejamento ou identificação de áreas alagadas de JP

Durante entrevista à Rádio Arapuan FM, o prefeito de João Pessoa, Cícero Lucena (Progressistas) detalhou a força-tarefa que está sendo realizada por secretarias para dirimir os efeitos das fortes chuvas…

Procon-PB realiza fiscalização em Mamanguape e quatro bancos são multados

A fiscalização faz parte da Operação “Previna-se” e compõe a força integrada de Defesa Social  A Autarquia de Proteção e Defesa do Consumidor, Procon-PB realizou no dia 24 uma fiscalização…