A Paraíba o tempo todo  |

Fim de ano: infectologista sugere encontro remoto entre familiares nas festas

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE

Seja a ceia natalina ou o encontro programado para o réveillon, as tradicionais reuniões de final de ano dessa vez vão ser diferentes: sem abraços, sem toques e com máscara e álcool em gel. As orientações, que também foram feitas pela Organização Mundial de Saúde (OMS), são do infectologista do Hapvida em João Pessoa, Fernando Chagas, que sugere o uso da tecnologia para matar a saudade e diminuir a distância, que ainda é necessária neste momento.

Familiares devem seguir os protocolos das autoridades sanitárias inclusive no momento de comemoração. O ideal, conforme o especialista, é que os eventos aconteçam apenas com entes familiares do próprio convívio diário, sem que ocorra o tradicional encontro dessas datas festivas.

A tecnologia continua sendo uma opção no cenário de pandemia. “As pessoas podem organizar um evento misto, tendo em casa os moradores celebrando e de forma online, os familiares de outros núcleos”, sugere o infectologista.

Também é comum nas festividades o cardápio colaborativo, onde cada um leva um prato. A configuração deve ser evitada neste ano, conforme explica o médico, que ressalta que apenas uma pessoa, ou núcleo, deve cozinhar, para evitar que muitas pessoas manipulem o alimento. Durante o preparo da comida, o uso da máscara é fundamental.

Ainda conforme o infectologista, a máscara só pode ser retirada no momento de se alimentar. “Ela deve ser usada até mesmo no momento em que as pessoas estiverem servindo a comida e na hora de comer, é importante que a máscara seja guardada em um envelope de papel plástico para não ser colocada em cima da mesa”, pontua.

Quanto ao local, o médico orienta que seja um espaço aberto e ventilado, para que as pessoas fiquem distantes uma das outras e evitem o contato físico, que continua desaconselhado. O alerta é feito principalmente para os que integram o grupo de risco. “Elas precisam tomar muito mais cuidado: idosos, pessoas a partir de 60 anos, pessoas com diabetes, pressão alta, doença renal, cardíaca e pulmonar”, considera.

Confira as dicas:

Reunir apenas familiares que vivem na mesma casa;
Juntar demais parentes de forma online;
Encontros devem ocorrer em espaços abertos e arejados;
Evitar contato físico e contato com superfícies;
Em caso de troca de presentes, higienizar as mãos antes e depois da entrega;
Durante a refeição, guardar máscara em envelope de plástico.

 

 

 

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE
    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      1
      Compartilhe