Os oitos estudantes que foram detidos, na manhã desta quinta-feira (19), em Campina Grande, após terem sido espancados por integrantes da tropa de choque e da Rotam da Policia Militar, foram liberados por volta das 16h30. O grupo, integrado inclusive por dois menores de idade, seguiu diretamente para a Unidade de Medicina Legal, em Bodocongó, para fazer exame de corpo de delito. As entidades estudantis envolvidas no protesto vão processar o Governo do Estado pela pancadaria contra os jovens.

Entre os estudantes presos, destacam-se Mrcelo de Lima, da União Brasileira de Estudantes Secundaristas; Marcelo David – diretor da União da Juventude Socialista;Felipe Lime – estudante de filosofia da UEPB e também integrante da UJS, além de Samara Silva, da Associação dos Estudantes Eecundaristas da Paraíba.

As entidades estudantis já anunciaram que vão promover uma reunião, ainda nesta sexta-feira, para avaliar o caso e, na próxima segunda-feira, deverá haver novas mobilizações da categoria nas ruas contra o aumento na tarifa de ônibus de Campina Grande. O reajute, assinado nesta quarta-feira pelo prefeito Veneziano Vital do Rêgo (PMDB), foi na ordem de 10% no valor da passagem: passou de R$ 1,55 para R$ 1,70.

No retorno aos protestos de rua, os estudantes já decidiram: advogados vão participar da mobilização, como forma de se assegurar os direitos dos participantes do movimento.

PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Aos 80 anos, morre em JP o ex-prefeito de Santa Rita Marcus Odilon

Faleceu na madrugada desta segunda-feira (24), o ex-deputado e ex-prefeito de Santa Rita, Marcus Odilon. Aos 79 anos, o político estava internado no Hospital Memorial São Francisco desde o último…

Eleitor tem até 6 de maio para regularizar título junto à Justiça Eleitoral

Os brasileiros que estão com o título de eleitor cancelado têm até 6 de maio para regularizar a situação perante à Justiça Eleitoral. Quem perder o prazo, não poderá votar…