Os economistas que elaboram diretrizes do eventual governo de Jair Bolsonaro (PSL) preveem desoneração “urgente” de todos os encargos que incidem sobre a folha de pagamento, informa o jornal O Estado de São Paulo.

A medida seria uma tentativa de incentivar contratações – o País tem, hoje, 13 milhões de desempregados.

Foto: Reprodução/ Internet

A queda da arrecadação seria compensada “com outras fontes de receitas”, disse, sem dar detalhes, o ex-diretor do BNDES Carlos Alexandre da Costa (foto), que integra o grupo coordenado por Paulo Guedes, indicado como ministro da Fazenda em caso de vitória de Bolsonaro.

*fonte: estadao

  •  

 


Garanta um desconto especial na sua certificação digital no Juristas Certificados Digitais

 

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Veja como foi a invasão ao escritório de RC; vídeos exclusivos da coluna de WF

A Coluna publica, com absoluta exclusividade, os vídeos com imagens de um homem invadindo o escritório do ex-governador e presidente da Fundação João Mangabeira, Ricardo Coutinho (PSB). A invasão ocorreu…

Feminicídio é tema de audiência pública na Câmara Municipal de CG

O número de homicídios contra as mulheres vem aumentando gradativamente nos últimos anos no estado da Paraíba e tem preocupado as autoridades. Esse vai ser o tema de uma audiência…