Foto: Nyll Pereira / ALPB

A Secretaria de Estado da Saúde, através do secretário Geraldo Medeiros,emitiu nota desmentindo informações que foram divulgadas por veículos da imprensa e repercutidas pela bancada de oposição ao governo na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB). O secretário esteve na sede do Legislativo na última quarta-feira (14) para prestar contas das ações desenvolvidas pela pasta.

Na ALPB, deputados oposicionistas chegaram a declarar que, segundo o secretário Geraldo Medeiros, a gestão direta, ou seja, aquela feita pelo próprio estado, seria mais barata do que através de uma organização social. A informação foi desmentida pelo auxiliar de João Azevêdo, acrescentando ainda que em hipótese algum teriam sido feitos pagamentos duplicados à Cruz Vermelha.

Confira nota na íntegra

Sobre matéria publicada em portais de notícias nesta quinta, 15 de Agosto, repercutindo a fala do secretário de Saúde, Dr. Geraldo Medeiros, durante Audiência Pública de Prestação de Contas dos recursos investidos em saúde referente ao 1º Quadrimestre de 2019, a Secretaria de Estado da Saúde repõe a verdade ao esclarecer que:

O Secretário, Dr. Geraldo Medeiros, NÃO afirmou que o Estado da Paraíba fez pagamentos em duplicidade a Cruz Vermelha Brasileira, Organização Social que administrou o Hospital de Trauma de João Pessoa. Após a apresentação, deputados questionaram sobre o bloqueio dos recursos repassados a Gerir, Organização Social que Administrava o Hospital Regional de Patos e a Maternidade Peregrino Filho, neste momento o secretário afirmou que,”para não haver duplicidade de pagamento a Gerir, o Estado consultou os órgãos de controle e a justiça do trabalho, para que pudesse garantir o funcionamentos dos hospitais e o pagamento dos servidores sem o descumprimento da lei.

2. O Secretário também NÃO afirmou que a gestão direta é mais barata que a realizada por OSs. A pergunta feita pela deputada era sobre a diferença do repasse entre as unidades de gestão própria e as geridas por OS. O secretário explicou que os custos são semelhantes, uma vez que nas unidades com gestão própria a folha de pagamento de pessoal são realizadas pela Secretaria de Administração e os contratos de manutenção de equipamentos são realizados diretamente pela SES. Nas unidades de gestão compartilhada, todos estes custos estão inclusos no contrato .

Por fim, o secretário reafirma a importância da Assembleia Legislativa nos espaços de debate democrático e de prestação de contas para a população.

 

PB Agora

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

UEPB está entre as instituições que pode reduzir participação no Sisu

Diversas universidades estaduais estão cogitando retirar vagas do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), plataforma usada pelo Ministério da Educação (MEC) para ofertar vagas em Instituições Públicas de Ensino Superior usando as notas…

Concurso para Procuradoria do Estado terá 12 vagas e edital deve sair em novembro

O concurso público da Procuradoria-Geral do Estado da Paraíba terá 12 vagas para o cargo de procurador. A informação foi revelada pelo procurador-geral do Estado, Fábio Andrade Medeiros. Fábio Andrade…