O governador Cássio Cunha Lima foi recebido, nesta quarta-feira, em Brasília, pelo ministro da Justiça, Tarso Genro. No encontro, Cássio formalizou ao ministro que da parte do governo do Estado não existe qualquer entrave para a participação da Polícia Federal nas investigações do assassinato do advogado pernambucano Manoel Bezerra de Matos Neto. Cássio explica que a participação da Polícia Federal é necessária para aprofundar a investigação e garantir a toda a sociedade a certeza da isenção e prioridade nesta apuração.


“Venho requerer o ingresso efetivo da competente e respeitada Polícia Federal, com a instauração de Inquérito Policial próprio ou de forma efetiva no já instaurado pela autoridade policial estadual, na esteira da gestão integrada que preside a articulação dos Órgãos do sistema de segurança pública, em face de ser um crime de repercussão interestadual e com característica de violação de direitos humanos”, afirma. No ofício, o governador lembra que já é do conhecimento de todos o assassinato, em terras paraibanas, que ceifou a vida do advogado pernambucano Manoel Bezerra de Matos Neto, que se destacava como defensor dos direitos humanos, denunciando crimes e articulando a defesa de vítimas, o que já havia lhe obrigado a contar, inclusive, com a proteção da Polícia Federal em certo período de tempo. “


Esse crime, pela repercussão social nos Estados da Paraíba e Pernambuco, levou à constituição de uma Força Tarefa entre os Estados vizinhos, com a efetiva determinação de ambos os governadores de Estado para uma ampla investigação que leve à prisão de autores e eventuais mandantes, bem como sirva de insofismável certeza de que não toleraremos nem aceitaremos conivência do aparato estatal com atividades ilícitas de qualquer natureza”, comenta o governador no ofício.


Segundo relata, os esforços de investigação policial resultaram já na prisão de envolvidos, na realização de perícias e outras atividades em inquérito próprio instaurado pela autoridade policial estadual do município de Pitimbu, onde ocorreu o crime, com a participação de apoio de Delegado Especial e equipe de apoio.


“Devo registrar que, em nosso Estado, a articulação dos Órgãos do sistema de segurança pública tem se dado de forma complementar, no âmbito do Gabinete de Gestão Integrada, tendo-se manifestado – mais uma vez e de forma exemplar – o apoio da Polícia Federal”, continua Cássio. Cássio informa, ainda, no ofício, que todo o procedimento tem sido acompanhado pelas Procuradorias de Justiça da Paraíba e de Pernambuco, pelas Seccionais da Ordem dos Advogados do Brasil e pelas entidades sociais que fazem parte do Movimento Nacional dos Direitos Humanos, além de parlamentares que estiveram em audiência no Palácio de Governo da Paraíba, expressando a confiança no trabalho e a preocupação quanto ao aprofundamento da apuração desse lamentável caso. O governador esclarece, também, que, em respeito a pedido dessas entidades, estará solicitando ao Procurador Geral da República a instauração de Incidente de Deslocamento da Competência para a Justiça Federal junto ao Superior Tribunal de Justiça.

PB Agora

 

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Chuvas na Paraíba elevam volumes de água de açudes monitorados por AESA

As chuvas caídas nesse início de ano no Sertão, Alto Sertão, Cariri e Curimataú paraibano , elevaram o nível de água de muitos dos 134 reservatórios monitorados pela Agência Executiva de…

João Azevêdo autoriza reajuste salarial linear dos servidores estaduais

O governador João Azevêdo (sem partido) autorizou o reajuste salarial linear dos servidores estaduais. Segundo o chefe do Executivo paraibano, em solenidade que ocorreu no último dia 20 deste mês,…