Prestadores de serviço de casas de acolhimento de João Pessoa denunciaram que foram demitidos da prefeitura de João Pessoa e sequer receberam pelo mês trabalhado Ao todo 86 pessoas perderam o emprego.

A ordem de demissão teria sido assinada pelo secretário de Desenvolvimento Social  (Sedes) da Capital, Eduardo Pedrosa, que é ‘apadrinhado’ e primo do deputado federal Benjamin Maranhão (SD).

O secretário, que ganha mensalmente seus quase R$ 16 mil/mês, assinou a ordem e entrou de férias deixando a ‘bagunça’ para o adjunto Vitor Medeiros resolver.

Foi repassado aos prestadores que não seria pago o salário referente ao mês de novembro e que eles ficarão sem trabalhar nos meses de dezembro e janeiro, e talvez retornem aos serviços no mês de fevereiro.

A remuneração dos servidores é repassada pelo Fundo Municipal de Desenvolvimento Social.

A revolta dos trabalhadores se dá porque eles são eleitores de Benjamin Maranhão e de João Almeida, e que o ‘calote’ ‘quebrou as pernas’, pois tinham planejamentos financeiros para o final de ano.

O secretário Eduardo Pedrosa não emitiu posicionamento sobre as denúncias. As informações são do portal Polêmica Paraíba.

O portal PB Agora também tentou falar com o secretário, mas não tivemos sucesso.

 

PB Agora

 

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

RC orienta STF a ficar alerta às posturas anticivilizadoras de Bolsonaro

Uma reportagem do portal UOL, desta sexta-feira (16), trouxe uma entrevista do ex-governador da Paraíba e atual presidente da Fundação João Mangabeira, Ricardo Coutinho (PSB) em que o socialista faz…

Divulgado resultado final do Gira Mundo Professor para Finlândia e Espanha

A Secretaria de Estado da Educação e da Ciência e Tecnologia (SEECT), em parceria com a Fundação de Apoio à Pesquisa do Estado da Paraíba (Fapesq), divulgou nesta sexta-feira (16)…