Com status de secretário, o chefe de gabinete da Prefeitura de Campina Grande, Bruno Cunha Lima (sem partido) voltou a confirmar sua postulação à sucessão municipal na Rainha da Borborema no pleito de 2020, com ou sem o apoio do prefeito Romero Rodrigues (PSD). Bruno esclareceu que sua postura, no entanto, não significa uma insubordinação, já que, politicamente, não é subordinado ao gestor.

Segundo o auxiliar, ele está adotando o sentindo inverso ao primeiro se viabilizar candidato, se fazer candidato, para só depois pedir o apoio do prefeito, que poderá optar por apoiá-lo ou não.

“Eu vou me fazer candidato. Tem duas formas de ser candidato, ou você é feito candidato, você é ungido, ou você se faz candidato e eu vou me fazer candidato. Eu disse a Romero isso inclusive quando ele me convidou para ser secretário. Muitos querem ser o candidato de Romero e antes de dar declarações públicas, de pedir o apoio do prefeito, eu estou me viabilizando como candidato. Romero não quer um subordinado, ele quer um aliado, por isso ratifico minha pré-candidatura”,  avisou.

As declarações do parlamentar repercutiram no Sistema Arapuan FM.

PB Agora

Total
1
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Galdino avalia como incerta a desfiliação de João Azevêdo do PSB

O presidente da Assembleia Legislativa da Paraíba, Adriano Galdino (PSB) voltou a confirmar, nesta quinta-feira (19), que tem pretensão de deixar os quadros do PSB paraibano assim que houver uma…

TCE reprova contas e imputa débito de R$ 2,2 milhões a prefeito de Pitimbú

O Tribunal de Contas da Paraíba, em sessão plenária nesta quarta-feira (18), decidiu imputar débito de R$ 2,2 milhões ao prefeito de Pitimbú, Leonardo José Barbalho Carneiro, após reprovar as…