O arcebispo da Paraíba, Dom Aldo di Cillo Pagotto, revogou nesta segunda-feira, dia 24, a Suspensão de Ordem aplicada ao padre e deputado federal, Luiz Couto (PT), por ter defendido em uma entrevista publicada no jornal O Norte o uso da camisinha e o fim dos atos de violência e preconceito contra os homossexuais.

Na entrevista, Luiz Couto também criticou a obrigatoriedade do celibato, que impede os padres de se casarem. “O comando da igreja é muito conservador neste ponto. Não há fundamentação bíblica. Deveria ser optativo”, defendeu.

A suspensão de ordem dada pelo arcebispo da Paraíba no último dia 25 de fevereiro impediu, por quase 1 mês, o padre de exercer o sacerdócio, o que gerou uma série de protesto de entidades da sociedade civil organizada e setores da própria igreja Católica. A partir de hoje o padre e parlamentar paraibano poderá celebrar missas, batizados e casamentos novamente aos sábados e domingos nos bairros de Cruz das Armas e Cabo Branco.

Dom Aldo afirmou que a decisão foi tomada na tarde de ontem após uma conversa reservada com o deputado federal Luiz Couto. Perguntado sobre o que motivou a medida, ele afirmou que prefere não se pronunciar por questões intimas. “Foi uma conversa franca e reservada e não disponho de nenhum termo”, resumiu, acrescentando que não publicará nenhuma nota à imprensa sobre a decisão.

De acordo com Dom Aldo, a Igreja Católica tem o seu Código Canônico com as normas que devem ser seguidas pelos padres e que a decisão de suspensão de ordem foi tomada com base na confusão que as afirmações de Couto teriam gerado entre os fiéis.

Na nota divulgada na imprensa no dia 25 de fevereiro Dom Aldo justificou: “Preposto à Arquidiocese da Paraíba, vejo-me na grave obrigação de suspender o referido sacerdote do uso de Ordem em nossa circunscrição eclesiástica, porquanto, por suas afirmações sumárias, e enquanto perdurem sem retratação explícita, provoca confusão entre os fiéis cristãos, e contraria ‘in noce’ as orientações doutrinais, éticas e morais sustentadas pela Igreja Católica (Cf. Cânon 1317 CDC)”.

O deputado federal Luiz Couto foi procurado pela reportagem de O Norte pelo celular e no seu escritório político, mas não foi encontrado para comentar a decisão do Arcebispo da Paraíba. Ele viajou na madrugada de hoje para Brasília.
 

 O Norte

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

‘Meu corpo não é sua folia’ tem adesão do Folia de Rua e mais quatro blocos

A campanha do Carnaval ‘Meu corpo não é sua folia’, promovida pela Rede de Estadual de Atenção às Mulheres Vítimas de Violência Doméstica e Sexual da Paraíba (Reamcav), coordenada pela…

MP vai apurar participação de crianças e adolescentes em bailes funk no Sertão

Um procedimento administrativo deve ser instaurado no Ministério Público a pedido do promotor de Justiça, Thomaz Ilton Ferreira dos Santos, para apurar a suposta participação de crianças e adolescentes em…