Por pbagora.com.br

Nesta quarta-feira (24) o Ministério Público denunciou no âmbito da Operação Calvário, o ex-prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues além de Jovino Machado da Nóbrega Neto, Saulo Ferreira Fernandes e Daniel Gomes da Silva.

De acordo com a denúncia a campanha eleitoral de Romero Rodrigues, em 2012, teria sido abastecida com propinas pagas pela organização criminosa que seria encabeçada pelo ex-governador da Paraíba, Ricardo Coutinho.

A denúncia relata um suposto pagamento de R$ 150 mil, feito por Daniel Gomes em 2012, que teria como destino a campanha para eleição de Romero à prefeitura de Campina Grande.

A garantia supostamente dada por Romero foi a de que o modelo de gestão por meio de organizações sociais seria implantado no Instituto de Saúde Elpídio de Almeida (Isea) e no Hospital Pedro I, que passariam a ser geridos pela Cruz Vermelha do Brasil representada por Daniel Gomes da Silva.

A denúncia do MP ainda dá conta de que parte do dinheiro teria sido entregue em mãos a Romero Rodrigues e outra parte teria sido entregue por meio do advogado Jovino Machado da Nóbrega Neto, que na época ocupava o cargo de coordenador jurídico do Estado da Paraíba.

PB Agora

Notícias relacionadas

Vacinação contra covid-19 volta a ser suspensa em JP por falta de doses

A campanha de vacinação contra a Covid-19 volta a ser suspensa em João Pessoa, nesta quarta-feira (21), após o esgotamento das doses de imunizantes, que são comprados e distribuídos pelo…

Família Carneiro passa a comandar dois partidos na Paraíba: PRTB e PROS

O Partido Republicano da Ordem Social (PROS) na Paraíba, passou por mudanças nesta terça-feira (20). De acordo com dados do Tribunal Regional Eleitoral, a presidência do partido no estado, que…