Por pbagora.com.br

O menino de 7 anos de idade que foi torturado na cidade de Boqueirão, no Cariri paraibano, recebeu alta médica do Hospital de Trauma de Campina Grande, e está sob a guarda de uma tia. A guarda provisória foi concedida pela Justiça da Paraíba durante uma audiência realizada nesta segunda-feira (12).

O menino que chegou a ser acorrentado e queimado com pingos de vela e passou um mês internado. A mãe e o padrasto dele foram presos como suspeitos.

A guarda provisória foi concedida de maneira emergencial após o menino sair do Hospital de Trauma de Campina Grande. Ele ficou internado após apresentar um quadro avançado de desnutrição e ainda vários ferimentos pelo corpo. A tia que ficou com a guarda foi quem se apresentou para buscar ele no Hospital, após a alta.

Ainda segundo o Ministério Público da Paraíba (MPPB), já foi aberto um processo de guarda definitiva. O caso também foi acompanhado pelo Conselho Tutelar de Boqueirão, que confirmou que a guarda definitiva está sendo direcionada para a tia que já está com o menino, na cidade de Boqueirão
A criança de 7 anos deu entrada no Hospital de Emergência e Trauma de Campina Grande no dia 10 de julho. De acordo com a Polícia Civil, a criança estaria sofrendo maus-tratos praticados pela mãe e pelo padrasto. O menino precisou passar por uma cirurgia plástica por causa das torturas.

O laudo finalizado pelo Núcleo de Medicina e Odontologia Legal (Numol) confirmou que a criança sofria agressões físicas prolongadas e contínuas, o que se configura como tortura. Em entrevista, o delegado Iasley Almeida, disse que a criança ficava acorrentada, apanhava e tinha as mãos queimadas com pingos de vela.

Redação

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

“O nosso grande desafio é tirar a maioria da população de JP da pobreza e gerar emprego”, diz Ruy

Durante encontro com 170 jovens da Igreja Sara Nossa Terra, na noite de sábado (01), o deputado federal Ruy Carneiro apresentou o combate à pobreza como principal eixo do programa de…

Eleições indiretas em Bayeux devem ser realizadas em 10 dias, determina Justiça

Mais uma vez as eleições indiretas na cidade de Bayeux voltam a ter mais um capítulo, mas o desta segunda-feira (03) se encaminha para possivelmente ser o último. É que…